Programa alimentar da ONU alcança milhares de pessoas em área de difícil acesso no Iêmen

Usando vales de alimentação e fornecedores locais de comida, o Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) conseguiu fornecer suprimentos neste mês a 55 mil pessoas no distrito de Al Qahira – região de difícil acesso em Taiz, no Iêmen.

Atualmente, 14 milhões de iemenitas ainda estão sob insegurança alimentar e cerca de 7 milhões de pessoas enfrentam insegurança alimentar grave.

PMA forneceu vales de alimentação para 55 mil pessoas no distrito de Al Qahira, uma região de difícil acesso em Taiz, no Iêmen. Foto: PMA

PMA forneceu vales de alimentação para 55 mil pessoas no distrito de Al Qahira, uma região de difícil acesso em Taiz, no Iêmen. Foto: PMA

Através de uma estratégia inovadora de assistência humanitária, o Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA) conseguiu fornecer comida neste mês a 55 mil pessoas no distrito de Al Qahira, uma região de difícil acesso em Taiz, no Iêmen.

O registro, que representa um aumento de quase cinco vezes no número de civis contemplados, foi possível graças ao sistema de vales de alimentação – iniciativa que permite ao PAM fornecer produtos alimentares às famílias usando fornecedores locais de comida.

Atualmente, 14 milhões de iemenitas ainda estão sob insegurança alimentar e cerca de 7 milhões de pessoas enfrentam insegurança alimentar grave.

O PMA implementou inicialmente o sistema de vales em Sanaa, no início do ano. Depois, o projeto expandiu para outras partes do Iêmen, incluindo Áden e Taiz. O uso de cupons de alimentação já permitiu que a agência da ONU chegasse a mais de 600 mil pessoas, em comparação com apenas 120 mil em fevereiro.

Cada cupom incluiu um mês de suprimentos de trigo, leguminosas, óleo vegetal, sal, açúcar e um alimento misturado rico em proteínas. O fornecimento mensal é suficiente para atender as necessidades de uma família de seis pessoas.

“Expandir nossa assistência através de fornecedores locais em Al Qahira é um grande avanço, que nos permite chegar a cada pessoa que precisa de ajuda”, disse a diretora do PMA no país, Purnima Kashyap, em um comunicado à imprensa.

De acordo com Kashyap, a iniciativa também está ajudando o comércio local e possibilitou a criação de novas oportunidades de emprego.

“Com essa abordagem, além de ajudar as famílias vulneráveis, damos um impulso muito necessário aos mercados locais, que estavam fechando porque as pessoas não tinham como comprar comida regularmente”, ressaltou Kashyap.

O PMA pretende expandir o programa de alimentação para o distrito de Al Mudhaffar, também em Taiz. De acordo com Kashyap, a expansão do fornecimento é uma forma eficaz de enfrentar os desafios de acesso, bem como acelerar a entrega de ajuda alimentar”, disse Kashyap.

A diretora do PMA também destacou que novos recursos e fundos são necessários para que o programa consiga alcançar, até o final do ano, um milhão de pessoas em todo o Iêmen através do sistema de cupons.