Produção sustentável de commodities é foco de parceria global

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

A produção de soja, carne e óleo de palma é atualmente o principal condutor do desmatamento tropical. Em vista disso, algumas das maiores organizações de conservação, desenvolvimento e finanças do mundo, assim como países produtores, lançaram nesta semana uma parceria inovadora em Nova York. Ação é promovida pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), pela ONU Meio Ambiente e diversas outras organizações globais e governos.

Plantação de soja no Mato Grosso. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Plantação de soja no Mato Grosso. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A produção de soja, carne e óleo de palma é atualmente o principal condutor do desmatamento tropical. Em vista disso, algumas das maiores organizações de conservação, desenvolvimento e finanças do mundo, assim como países produtores, lançaram nesta quarta-feira (6) uma parceria inovadora em Nova York.

Com o principal financiamento proveniente do Fundo Global para o Meio Ambiente (‘Global Environment Facility’, GEF) e com o ‘Green Commodities Programme’ do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) à frente, a tão aguardada “Parceria para o Bom Desenvolvimento” sairá do papel graças à colaboração com a Conservation International, a Corporação Financeira Internacional, a ONU Meio Ambiente, o World Wildlife Fund e os governos de Brasil, Indonésia, Libéria e Paraguai.

O administrador do PNUD, Achim Steiner, se reuniu com o CEO do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF), Naoko Ishii, para lançar a Parceria. Também participaram governos parceiros, incluindo o ministro da Agricultura da Libéria; o ministro do Meio Ambiente do Paraguai; o diretor-geral de Florestamento da Indonésia, também vice-ministro de Alimentação e Agricultura do Ministério de Assuntos Econômicos; e o secretário adjunto de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente do Brasil. Também participaram representantes de alto nível de diferentes áreas das Nações Unidas, do setor privado e da sociedade civil.

Com a expectativa de que a demanda por soja, carne bovina e óleo de palma dobre até 2030, a Parceria se soma aos esforços existentes e às redes de organizações participantes e trabalhará por meio dos canais nacionais de produção, financiamento e demanda.

O foco está na reunião de uma ampla gama de partes interessadas e iniciativas para criar uma mudança de longo prazo por meio dessas redes estratégicas de fornecimento de commodities.

Pelos próximos quatro anos, a parceria promoverá políticas para disponibilizar terras adequadas para produção; o aprimoramento da capacidade dos produtores de adotar boas práticas agrícolas; bem como aumentará a conscientização do mercado e a demanda pela redução do desmatamento.

No nível dos países, a parceria terá foco em ambientes produtivos estratégicos, como a área Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), no Cerrado brasileiro; o ambiente biodiverso das províncias de Riau na Indonésia, Sumatra do Norte e o Oeste de Kalimantan; as novas fronteiras do óleo de palma no Nordeste da Libéria; e a região do semiárido do Chaco, no Paraguai.

Enquanto isso, um contínuo aprendizado terá apoio de uma comunidade crescente de práticas, coordenada pelo Green Commodities Programme do PNUD.

Atualmente, a produção comercial de soja, carne bovina e óleo de palma são forças econômicas dominantes em muitas nações e economias rurais em desenvolvimento. Administrados de maneira sustentável, elas têm potencial para se tornar engrenagens para o desenvolvimento rural, respondendo a muitos dos objetivos globais do desenvolvimento sustentável para erradicar a pobreza e proteger o planeta. Transformar essas três redes de fornecimento de commodities também tem o potencial de reduzir o desmatamento tropical e frear as mudanças globais do clima.

Saiba mais sobre a parceria clicando aqui.


Mais notícias de:

Comente

comentários