Primeiro grupo de refugiados sírios chega à Alemanha para realocação temporária, informa ACNUR

Eles receberão orientação cultural, formação básica do idioma, moradia, pleno acesso a serviços sociais e terão direito a trabalhar. Programa prevê participação de até 5 mil pessoas, que poderão permanecer no país por dois anos com possibilidade de prorrogação.

Refugiados sírios desembarcam em Hanover, na Alemanha. Foto: ACNUR/R. Brunnert

Um primeiro grupo de 107 refugiados sírios altamente vulneráveis desembarcou nesta quarta-feira (11) na cidade alemã de Hanover. Eles saíram do Líbano por meio de um programa humanitário especial anunciado pelo governo alemão no início deste ano.

“É bom estar em um lugar seguro”, disse um dos refugiados, que se apresentou como William, na chegada a Hanover. “Foi um período horrível esperando por ajuda e proteção.”

Os refugiados, que chegaram ao Líbano para escapar da escalada de conflitos que eclodiu na Síria em março de 2011, foram levados para um centro de alojamento em Friedland, na Baixa Saxônia, onde permanecerão por 14 dias. Eles terão cursos de orientação cultural, como formação básica de idioma e informações sobre a Alemanha, incluindo os sistemas de saúde e escola, bem como ajuda na interação com as autoridades locais. Depois seguirão para diversas cidades.

Eles vão morar em pequenos centros ou apartamentos, terão pleno acesso a serviços sociais como saúde e educação e poderão trabalhar no país.

No âmbito do Programa de Assistência Humanitária da Alemanha, anunciado em março, os refugiados receberão uma autorização de permanência por dois anos, com possibilidade de prorrogação, caso a situação na Síria permaneça inalterada.

Representante do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) na Alemanha, Michael Lindenbauer elogiou o Governo pela iniciativa humanitária. “A Alemanha é o primeiro país da Europa a implementar um programa de admissão humanitária de refugiados sírios com necessidades especiais.” Segundo ele, “o amplo consenso alcançado na política e na sociedade para apoiar esta iniciativa é exemplar.”

Estão previstas até 5 mil vagas para refugiados sírios, sendo assim o maior programa de realocação para as vítimas mais vulneráveis da crise na Síria. “As equipes do ACNUR na região da Síria estão neste momento preparando referências adicionais para este programa, que esperamos ser totalmente subscrito até o fim de 2013”, disse a a porta-voz do ACNUR em Genebra, Suíça, Melissa Fleming. “A Organização Internacional para as Migrações está conosco na organização de viagens, consultas médicas e outros apoios.”

O reassentamento de refugiados, seja pelo programa tradicional ou a realocação é uma ferramenta vital de proteção para salvar vidas e ajudar os refugiados particularmente vulneráveis. Os reassentados podem ser mulheres e meninas em situação de risco, pessoas com graves condições de saúde, sobreviventes de tortura ou outras pessoas com necessidades especiais.

Em junho, o ACNUR anunciou em seu Plano Regional de Resposta à Síria, que buscava 10 mil vagas para admissão humanitária e 2 mil para o reassentamento de sírios com necessidades críticas. Desde então, Alemanha e Áustria se comprometeram a ceder vagas para admissão humanitária (5 mil e 500, respectivamente), enquanto uma série de outros países propuseram o reassentamento.

Entre eles Austrália, Canadá, Dinamarca, Finlândia, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Espanha, Suécia e Suíça. Juntos, eles ofereceram mais de 1.650 vagas de reassentamento, das quais 960 são para 2013.