Primeiro grupo de gorilas chega de avião até reserva natural na República Democrática do Congo

As forças de manutenção da paz das Nações Unidas no leste da República Democrática do Congo (RDC) transportaram esta semana quatro gorilas ameaçados pelos conflitos locais para um habitat seguro, como forma de mantê-los livres do tráfico ilegal ou até mesmo da morte. “A esperança é que os gorilas possam se fortalecer o suficiente para sobreviver e se multiplicar na floresta”, relatou nesta quinta (29) a Missão da ONU na RDC (MONUC).

Primeiro grupo de gorilas chega de avião até reserva natural na República Democrática do CongoAs forças de manutenção da paz das Nações Unidas no leste da República Democrática do Congo (RDC) transportaram esta semana quatro gorilas ameaçados pelos conflitos locais para um habitat seguro, como forma de mantê-los livres do tráfico ilegal ou até mesmo da morte. “A esperança é que os gorilas possam se fortalecer o suficiente para sobreviver e se multiplicar na floresta”, relatou nesta quinta (29) a Missão da ONU na RDC (MONUC).

Três fêmeas jovens (Mapendo, Amani e Ndjingala) e um macho chamado Kighoma – todos da planície oriental – voaram de helicóptero por 50 minutos na terça-feira (27) com os veterinários e outros cuidadores da cidade de Goma, capital da província de Kivu Norte, para uma densa floresta perto da reserva natural de Tanya, também em Kivu Norte. A decisão de transferir os gorilas por via aérea veio depois que os cientistas afirmaram que o transporte por terra seria muito difícil e traumático. Os quatro gorilas, vítimas do tráfico ilegal de animais selvagens e da caça, se unirão no início de junho a seis adolescentes órfãos que serão trazidos pela MONUC de Ruanda.

Os pedidos para o transporte foram feitos pelo Instituto Congolês para a Conservação da Natureza (ICCN) e pelo Fundo para os Gorilas Dian Fossey, que, juntamente com outros apoiadores, estabeleceu o Centro de Educação Conservacional e Reabilitação de Gorilas (GRACE), na aldeia de Kasugho, como a nova casa temporária dos quatro mamíferos primatas, antes de serem colocados em liberdade.

Os gorilas podem desaparecer da Bacia Maior do Congo até meados da década de 2020 se não forem tomadas medidas urgentes para preservar seus habitats e combater a caça, segundo relatório divulgado no mês passado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA/UNEP) e pela Interpol.