Presidente da França e primeiro-ministro da Índia recebem maior prêmio ambiental da ONU

O presidente francês Emmanuel Macron e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, receberam nesta semana (26), em Nova Iorque, o Prêmio Campeões da Terra, a mais alta condecoração ambiental das Nações Unidas. Outros cinco ativistas e iniciativas foram reconhecidos com o título. Entre os vencedores, estavam as empresas Beyond Meat e Impossible Foods, que propõem alternativas culinárias ao consumo de carne bovina, usando apenas vegetais.

Campeões da Terra recebem condecoração da ONU em cerimônia em Nova Iorque. Foto: ONU Meio Ambiente/Russ Rowland

Campeões da Terra recebem condecoração da ONU em cerimônia em Nova Iorque. Foto: ONU Meio Ambiente/Russ Rowland

O presidente francês Emmanuel Macron e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, receberam nesta semana (26), em Nova Iorque, o Prêmio Campeões da Terra, a mais alta condecoração ambiental das Nações Unidas. Outros cinco ativistas e iniciativas foram reconhecidos com o título. Entre os vencedores, estavam as empresas Beyond Meat e Impossible Foods, que propõem alternativas culinárias ao consumo de carne bovina, usando apenas vegetais.

Conheça os vencedores:

  • Joan Carling: reconhecida na categoria Realizações em Vida como uma das mais proeminentes defensoras dos direitos ambientais e indígenas do mundo. Há mais de 20 anos, Carling está na vanguarda do conflito por terra e meio ambiente nas Filipinas. Sua luta incansável e altruísta fez dela uma defensora global dos povos e comunidades tradicionais;
  • Beyond Meat e Impossible Foods (Para além da carne e Comidas Impossíveis, em tradução livre para o português): iniciativa reconhecida na categoria Ciência e Inovação pelo desenvolvimento de uma alternativa popular e revolucionária para a carne bovina, totalmente baseada em vegetais, e pelos esforços para educar os consumidores sobre escolhas ambientalmente conscientes;
  • Emmanuel Macron, presidente da França, e Narendra Modi, primeiro-ministro da Índia: reconhecidos na categoria Liderança Política pelo trabalho pioneiro junto à International Solar Alliance e pela promoção de novas áreas de cooperação ambiental, incluindo o trabalho de Macron no Pacto Global para o Meio Ambiente e o de Modi para eliminar todo o plástico descartável na Índia até 2022;
  • Programa Verde Chinês de Revitalização Rural de Zhejiang: reconhecido na categoria Inspiração e Ação por recuperar uma área com rios altamente poluídos na província de Zhejiang, leste da China. O projeto de restauração ecológica foi excepcionalmente bem-sucedido e mostra o poder transformador da união entre desenvolvimento econômico e ambiental;
  • Aeroporto Internacional de Cochin: vencedor na categoria Visão Empreendedora pela liderança no uso de energia sustentável. Cochin, na Índia, está mostrando ao mundo que a expansão das redes de transporte não precisa prejudicar o meio ambiente. Esse é primeiro aeroporto totalmente movido a energia solar e é uma prova de que os negócios verdes são bons negócios.
Presidente da França, Emmanuel Macron. Foto: ONU/Mark Garten

Presidente da França, Emmanuel Macron. Foto: ONU/Mark Garten

Em evento paralelo à 73ª sessão da Assembleia Geral da ONU, os vencedores receberam o prêmio do ator Alec Baldwin e da atriz e embaixadora da ONU Meio Ambiente Dia Mirza.

“Não vamos resolver os desafios que o mundo enfrenta hoje sem talentos extraordinários, novos pensamentos e ideias ousadas”, afirma o diretor-executivo da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim.

“O Prêmio Campeões da Terra reconhece aqueles que não têm medo de nadar em águas desconhecidas ou de ser a voz dos que não têm voz. Essas pessoas estão mudando nosso mundo hoje para um amanhã melhor.”

O Prêmio Campeões da Terra é o maior reconhecimento ambiental da ONU e homenageia figuras excepcionais dos setores público e privado e da sociedade civil. Vencedores anteriores ​​incluem o indiano Afroz Shah, que liderou o maior mutirão de limpeza de praia do mundo (2016), o presidente ruandês Paul Kagame (2016), o ex-vice-presidente americano Al Gore (2007), o CEO da Ocean Cleanup Boyan Slat (2014), o cientista-explorador Bertrand Piccard e o desenvolvedor do Google Earth Brian McClendon (2013).


Comente

comentários