Presidenta Dilma Rousseff apoia ‘Proteja o Gol’, campanha de agências da ONU

A campanha visa a mobilizar os jovens e os fãs de futebol na prevenção e resposta ao HIV/aids.

A presidenta Dilma e o diretor executivo do UNAIDS, Michel Sidibé, na assinatura da bola-símbolo da campanha. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidenta Dilma Rousseff demonstrou a sua adesão à campanha “Proteja o Gol” assinando a bola-símbolo da campanha na última terça-feira (10), em cerimônia no Palácio do Alvorada, na presença do diretor executivo do Programa das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS), Michel Sidibé, e de vários representantes da ONU, do governo federal e de Ndaba e Kweku Mandela, netos do líder sul-africano Nelson Mandela.

A bola-símbolo da “Proteja o Gol” partiu da África do Sul – país que sediou a Copa do Mundo de 2010 – e já atravessou continentes, angariando adesões à campanha.

Antes de chegar ao Brasil, a bola foi assinada por vários chefes de estado, assim como pelo secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e pelo vencedor do Prêmio Nobel da Paz e ex-secretário-geral da ONU, Kofi Annan.

A campanha é liderada pelo UNAIDS, em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Ministério da Saúde, entre outros parceiros. O objetivo é mobilizar os jovens e os fãs de futebol na resposta à aids. Essa iniciativa promove também três visões: zero novas infecções por HIV, zero discriminação e zero mortes relacionadas à aids.

No lançamento oficial, na última segunda-feira (9), em evento realizado em Salvador, Sibidé disse que “a cidade será lembrada por esse momento histórico e por esse chamado de inclusão”, afirmando ainda é que é preciso “focar nos direitos humanos e na inclusão social”.

“Se deixarmos alguém para trás, isso significa que falhamos. Queremos chegar à zero discriminação”, acrescentou ele.

Assista aqui a um vídeo sobre a campanha e saiba mais em www.protejaogol.org