Prêmio Itaú-UNICEF reconhece projetos para o desenvolvimento de crianças e adolescentes

Há 23 anos reconhecendo iniciativas de educação integral no país, o Prêmio Itaú-UNICEF abre inscrições para sua 13ª edição. O objetivo da premiação é identificar, estimular e dar visibilidade a projetos que contribuam para garantir o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos em situação de vulnerabilidade social. Neste ano, a premiação terá um aporte 47,5% maior do que em 2017, totalizando 5,9 milhões de reais.

O prêmio, que até o ano passado reconhecia parcerias entre organizações da sociedade civil (OSCs) e escolas públicas, ganhou uma nova categoria, dedicada a ações realizadas exclusivamente por OSCs. As inscrições podem ser feitas até 21 de maio.

O Prêmio Itaú-UNICEF, que até o ano passado reconhecia parcerias entre organizações da sociedade civil (OSCs) e escolas públicas, ganha uma nova categoria, dedicada a ações realizadas exclusivamente por OSCs. Foto: EBC

O Prêmio Itaú-UNICEF, que até o ano passado reconhecia parcerias entre organizações da sociedade civil (OSCs) e escolas públicas, ganha uma nova categoria, dedicada a ações realizadas exclusivamente por OSCs. Foto: EBC

Há 23 anos reconhecendo iniciativas de educação integral no país, o Prêmio Itaú-UNICEF abre inscrições para sua 13ª edição. O objetivo da premiação é identificar, estimular e dar visibilidade a projetos que contribuam para garantir o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos em situação de vulnerabilidade social. Neste ano, a premiação terá um aporte 47,5% maior do que em 2017, totalizando 5,9 milhões de reais.

O prêmio, que até o ano passado reconhecia parcerias entre organizações da sociedade civil (OSC) e escolas públicas, ganhou uma nova categoria, dedicada a ações realizadas exclusivamente por OSC. As inscrições podem ser feitas até 21 de maio pelo site premioitauunicef.org.br.

“O prêmio procura dar visibilidade a boas práticas que são mobilizadoras e incentivam outras organizações a também desenvolver ações que promovam o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes. O novo formato visa ampliar o alcance do prêmio e atingir um maior número de ações e localidades beneficiadas”, explica a gerente de fomento do Itaú Social, Camila Feldberg.

“Cada criança, cada adolescente precisa de muitos espaços para aprender e desenvolver suas habilidades. Ao longo de sua história, o prêmio vem mostrando que é possível construir, junto com as organizações da sociedade civil, uma escola não para as crianças, mas das crianças, das famílias, das comunidades”, explica Florence Bauer, representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no país.

Sobre o Prêmio Itaú-UNICEF

O Prêmio Itaú-UNICEF é uma iniciativa do Itaú Social e do UNICEF, com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC).De acordo com a superintendente do CENPEC, Mônica Franco, ao longo de toda sua trajetória, o prêmio tem tido um papel fundamental na promoção da educação integral de qualidade e na superação das desigualdades sociais no Brasil.

“Isso se deve ao fortalecimento de organizações da sociedade civil e de suas articulações com os projetos políticos pedagógicos das escolas públicas”, destaca. “Unindo a premiação de projetos a ações de formação dos diferentes atores educacionais, o prêmio integra escolas, organizações e territórios, na perspectiva da garantia de direitos de nossas crianças, adolescentes e jovens”.

Na categoria OSC em Ação, deverão ser inscritos os projetos concebidos, planejados e executados pela organização e que sejam oferecidos diretamente para crianças e adolescentes. Na categoria Parceria em Ação, participam ações realizadas obrigatoriamente em parceria entre OSC e escola pública.

Etapas de seleção

A avaliação dos projetos considera a forma como incorporam as oportunidades educativas existentes no município para potencializar suas ações, bem como o envolvimento dos participantes nos processos de planejamento, execução e monitoramento.

Em agosto, serão conhecidos os 100 projetos semifinalistas, sendo 60 na categoria OSC em Ação e 40 na categoria Parceria em Ação. Cada OSC semifinalista receberá o valor de 20 mil reais, já as parcerias semifinalistas receberão 40 mil reais, sendo 20 mil reais para a OSC e 20 mil para a escola.

A partir desse grupo, haverá, em setembro, a seleção de 30 projetos finalistas, sendo 20 OSCs, que receberão mais 40 mil reais cada, e dez parcerias que serão premiadas com mais 100 mil reais, sendo 50 mil para a OSC e 50 mil reais para a escola.

Os seis projetos vencedores nacionais serão anunciados em novembro. A categoria OSC terá quatro premiadas por ordem de colocação (primeiro lugar, 150 mil reais; segundo lugar, 140 mil reais; terceiro lugar, 130 mil reais; e quarto lugar, 120 mil reais). Na categoria Parceria, serão duas vencedoras. O primeiro lugar recebe mais 400 mil reais e o segundo lugar, 360 mil reais, valores divididos igualmente entre a organização e a escola.

A 12ª edição, realizada em 2017, recebeu 1.651 inscrições de parcerias formadas por organizações da sociedade civil e escolas públicas. Foram concedidos 4 milhões de reais em prêmios a 96 parcerias reconhecidas nas diversas fases, beneficiando mais de 19 mil crianças em todas as regiões do país.

As quatro vencedoras nacionais receberam 130 mil reais por organizações e escolas. Desde a primeira edição do prêmio, foram registradas mais de 17 mil inscrições e 1.750 cidades tiveram ações contempladas.

Os projetos premiados no ano passado foram: Circulando a Cultura na Escola (Major Sales, RN); Aluno repórter – a imprensa na escola (Bragança, PA); Projeto Olho Vivo (Niterói, RJ); e Cultura, Esporte e Cidadania (Criciúma, SC).