Prefeitura do Rio presta homenagem ao ex-funcionário da ONU Sérgio Vieira de Mello

Busto de bronze é inaugurado na praça que leva o nome do primeiro brasileiro a ocupar um cargo de alto escalão nas Nações Unidas. Ele chefiava a Missão da ONU no Iraque quando morreu num ataque terrorista contra a sede da Organização no país em 2003.

Busto de Sérgio Vieira de Mello é inaugurado no Rio na presença de André Simões (c), sobrinho do ex-funcionário, da artista plástica Vilma Nöel e de boinas azuis brasileiros. Foto: UNIC Rio/Felipe Siston

A Prefeitura do Rio de Janeiro inaugurou nesta sexta-feira (15) o busto do ex-funcionário das Nações Unidas Sérgio Vieira de Mello, que completaria hoje 65 anos. A cerimônia ocorreu na praça que leva o nome do brasileiro, no Leblon, zona sul, e reuniu cerca de 60 pessoas, entre representantes da ONU, da Prefeitura, familiares e amigos. A peça em bronze pesa 60kg e é de autoria da artista plástica Vilma Nöel.

“O Sérgio sempre gostou muito de mostrar que era brasileiro, que era carioca. Isso o ajudou muito pelo mundo, sempre foi muito bem recebido. É muito importante que a cidade participe desta história do Sérgio”, disse o sobrinho de Mello, André Simões, que participou da cerimônia representando a família.

Para Simões, a mensagem de seu tio se fundava no respeito à humanidade. “E quando tiver uma discórdia, se colocar no lugar da pessoa e ver porque a pessoa está reclamando, tentar ter o sentimento da pessoa para chegar a um consenso”, disse.

Mello começou a trabalhar na ONU ainda jovem, em 1969. Ele se destacou na área humanitária, tornando-se conhecido por ser um hábil negociador. Foi o primeiro brasileiro a atingir o alto escalão da Organização, chegando ao cargo de Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos.

Ele chefiava a Missão da ONU no Iraque quando morreu em 2003, junto com mais 21 funcionários, num ataque terrorista contra a sede da Organização no país.

“O adjetivo que dou ao Sérgio Vieira de Mello é pacificador. Ele divulgou os direitos humanos pelo mundo, esteve em grandes conflitos e intermediou os conflitos com grandes resultados”, disse o Secretário Municipal de Conservação, Marcos Belchior.

Em dezembro de 2008, as Nações Unidas designaram o dia 19 de agosto, data do atentado, como o Dia Mundial do Trabalhador Humanitário, em memória dos funcionários que perderam suas vidas ao se dedicarem a esta causa.

Na homenagem de hoje no Rio, também participaram representantes do corpo diplomático, boinas azuis do Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil, funcionários da ONU e alunos da escola municipal Sérgio Vieira de Mello.