Preços mundiais de alimentos chegam ao menor patamar em quase seis anos, revela FAO

Inflação no preço de alimentos das economias da América Latina e Caribe, inclusive do Brasil, também registraram queda.

Família no supermercado. Foto: EBC/Thinkpanama/Creative Commons

Família no supermercado. Foto: EBC/Thinkpanama/Creative Commons

Preços dos produtos agrícolas em julho chegaram ao seu menor patamar desde setembro de 2009, uma queda provocada, principalmente, pela redução acentuada do preço dos produtos lácteos e óleos vegetais, informou, nesta quinta-feira (06), a Organização para Alimentação e Agricultura (FAO) da ONU.

O preços dos laticínios diminuíram 7,2, se comparados ao mês anterior, devido à menor demanda de importação da China, Oriente Médio e Norte da África em um contexto em que há uma grande abundância de produção de leite na União Europeia, aumentando a oferta. O índice do óleo vegetal para julho caiu 5,5%, chegando a seu menor valor desde setembro de 2009.

Segundo o relatório, essa queda se deve a uma diminuição do preço do óleo de palma por causa do aumento da produção no Sudeste Asiático, combinada com a menor exportação, especialmente da Malásia. Outra razão é o enfraquecimento dos preços do óleo de soja em uma ampla gama de exportações na América do Sul e um panorama favorável de safra para 2015/2016.

O preço do açúcar aumentou em 2,5% em junho de 2015 em decorrência, particularmente, das condições de colheita pouco propícias na principal região produtora brasileira.

Queda na inflação alimentar na América Latina

O Informe Mensal dos Preços FAO mostrou que a inflação alimentar na região da América Latina e o Caribe registra uma leve desaceleração desde abril como resultado de menores variações dos preços de alimentos das maiores economias da América do Sul.

Os dados de julho indicam que a inflação alimentar mensal foi de 0,7%, diminuindo 0,1 ponto percentual com relação a maio, mantendo a tendência de queda. Argentina, Bolívia, Brasil e Uruguai tiveram taxas inferiores ao mês de maio. No Brasil, a inflação foi de 0,6%, o que representa uma queda de 0,7%.