“Precisamos dobrar nossos esforços relacionados à água”, afirma presidente de iniciativa do Pacto Global

Pela primeira vez realizado no Brasil, evento anual da plataforma CEO Water Mandate, iniciativa do Pacto Global das Nações Unidas, reuniu em São Paulo, na última quinta-feira (11), lideranças do setor privado com projetos na promoção da eficiência hídrica no país. Evento foi organizado pela Rede Brasil do Pacto Global e demais parceiros.

Na ocasião, o presidente da plataforma CEO Water Mandate, Jason Morrison, ressaltou que 9 em cada 10 desastres naturais são relacionados à água, e destacou que as mudanças do clima podem tornar esses eventos mais comuns. “Não temos muito tempo, por isso convido a todos para acelerar suas ações e aumentar sua ambição”, pontuou.

O evento também contou com o lançamento da versão em português do relatório “Fortalecendo o argumento comercial de água, saneamento e higiene” e a premiação das 12 iniciativas contempladadas pela iniciativa “Cases de sucesso em ODS 6”, que reconhece os melhores projetos desenvolvidos por membros da Rede Brasil do Pacto em práticas de sustentabilidade.

Jason Morrison, presidente do CEO Water Mandate, iniciativa do Pacto Global da ONU, lançou um chamado às empresas brasileiras por mais atenção ao tema da eficiência hídrica. Foto: Rede Brasil do Pacto Global.

Jason Morrison, presidente do CEO Water Mandate, iniciativa do Pacto Global da ONU, lançou um chamado às empresas brasileiras por mais atenção ao tema da eficiência hídrica. Foto: Rede Brasil do Pacto Global.

São Paulo recebeu, na última quarta-feira (11), o evento anual da plataforma The CEO Water Mandate, iniciativa do Pacto Global das Nações Unidas voltada à gestão corporativa da água. Esta foi a primeira vez que o Brasil sedia o encontro.

Na ocasião, especialistas discutiram soluções para alcançar as metas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6 (ODS6) – Água e saneamento, e foram entregues 12 prêmios a projetos nacionais que integram a publicação “Cases de sucesso em ODS 6”, lançado no evento.

Durante o encontro, o presidente do CEO Water Mandate e do Pacific Institute, Jason Morrison, lançou um chamado às empresas brasileiras por mais atenção ao tema da eficiência hídrica em suas operações e na promoção de ações relacionadas ao acesso à água e promoção do saneamento nas comunidades onde atuam.

Morrison ressaltou que 9 em cada 10 desastres naturais são relacionados à água, e que as mudanças do clima podem causar situações extremas que tornariam esses desastres mais comuns, afetando pessoas e empresas.

“Gostaria de parabenizar a todos que já estão promovendo ações no Brasil”, celebrou Morrison. “No entanto, precisamos dobrar os nossos esforços relacionados à água e associá-los à questão climática”, avaliou.

Segundo ele, não temos muito tempo. “Por isso convido a todos para acelerar suas ações e aumentar sua ambição”, concluiu.

O presidente do CEO Water Mandate aproveitou o evento para lançar a versão em português do relatório “Fortalecendo o argumento comercial de água, saneamento e higiene – Como medir o valor da sua empresa”, que ajuda as organizações a medir o retorno de seus investimentos em água e saneamento.

Iniciativa privada em prol do ODS 6

Evento reuniu em São Paulo premiou projetos da iniciativa privada de promoção ao acesso à água potável e ao saneamento básico. Foto: Marlon Ferrer Daniel/CC.

Evento reuniu em São Paulo premiou projetos da iniciativa privada de promoção ao acesso à água potável e ao saneamento básico. Foto: Marlon Ferrer Daniel/CC.

O evento também contou com falas de Thiago Piazzeta, especialista em soluções baseadas na natureza da Fundação Grupo Boticário. Piazzeta explicou como a organização usa a metodologia da Teoria U para impulsionar seus projetos de sustentabilidade, em especial o Oasis Lab Baía de Guanabara.

Já Chiara Gadaleta, criadora da plataforma A Moda pela Água, explicou o projeto ‘Pegada Hídrica Vicunha’, responsável por mapear o consumo médio de água no ciclo de vida de uma calça jeans no país (5.196 litros).

“A moda sempre foi um retrato de seu tempo. Que moda é esta que nos veste no século 21?” – questionou a empreendedora, que defende mais engajamento do setor com a sustentabilidade.

Teresa Vernaglia, CEO da BRK Ambiental e porta-voz da Rede Brasil do Pacto Global com relação ao ODS 6, apresentou a situação dos investimentos em saneamento no país (12,6 bilhões em 2018), cujo número é inferior ao apresentado por setores como energia e telecomunicações, que já possuem uma cobertura maior.

Também presente no encontro, Rodrigo Brito, gerente de sustentabilidade da Coca-Cola Brasil, apresentou as iniciativas da empresa para aumentar sua eficiência hídrica, preservar ecossistemas e ampliar o acesso à água em comunidades.

O evento anual do CEO Water Mandate foi promovido no Brasil pela Rede Brasil do Pacto Global em parceria com a ISAE Escola de Negócios, e viabilizado pela BRK Ambiental e Instituto Coca-Cola.

Iniciativa contou ainda com o patrocínio do CREA Goiás e apoios da plataforma A Moda pela Água e do Unibes Cultural, onde a cerimônia foi realizada.

Cases de sucesso em ODS 6

Além das discussões sobre água e saneamento, o evento promoveu a cerimônia de premiação dos “Cases de sucesso em ODS 6”.

Foram entregues 12 prêmios a inciativas nacionais, em 4 categorias. Saiba mais sobre os projetos vencedores a seguir.

Premiados da categoria Água, Saneamento e Higiene (WASH) e Direitos Humanos:

  • Sabesp – Programa Água Legal: por meio do projeto, a Sabesp levou estrutura de abastecimento a 25 mil famílias de áreas irregulares em 2018, onde moradores passaram a receber água de qualidade em suas torneiras;
  • Enel Compartilha Infraestrutura Cisternas e Bioágua: o projeto desenvolvido pela Enel Green Power (EGP) teve como objetivo promover as melhores condições de uso da água nos municípios de Morro do Chapéu e Carnafaum, na Bahia. Foram construídas 105 cisternas para proporcionar água potável por meio de captação de água da chuva, e 60 sistemas bioágua;
  • Aegea – De marginalizados a protagonistas – dignidade e inovação para as regiões de palafitas e ocupações irregulares em Estados do Norte e no Nordeste do Brasil: a Aegea Saneamento implementa estratégias para enfrentar o problema do acesso aos serviços em duas de suas principais concessões: Teresina (PI) e Manaus (AM). Ambas as atividades contam com parceria do poder público regional.

Premiados da categoria Eficiência hídrica em cadeias diretas de operações e suprimentos:

  • Eco Panplas – Reciclagem a Seco de Embalagens Plasticas Contaminadas de Óleo Lubrificante: a empresa desenvolveu uma solução tecnológica que realiza a descontaminação e reciclagem de embalagens plásticas de óleo lubrificante de forma ecológica: sem utilização de água e sem geração de resíduos;
  • Sabesp – Programa Água Legal;
  • CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo) – Sistema de aproveitamento de água pluvial em habitação de interesse social: o projeto visa implantar o Sistemas de Reaproveitamento de Água de Chuva para utilização nas descargas das bacias Ssnitárias das habitações de Interesse Social construídas pela CDHU.

Premiados na categoria Ação Coletiva:

  • Mosaic Fertilizantes – Edital da Água: com o apoio técnico do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), a Mosaic Fertilizantes selecionou projetos que possam, dentro dos municípios de abrangência, promover boas práticas de gestão hídrica, entre outros objetivos;
  • Schneider Electric – Água do Sol: a empresa implantou um sistema de bombeamento solar para possibilitar o bombeamento de água em comunidades que não tem acesso à energia. Dessa forma, contribuiu para o acesso a água em regiões remotas;
  • CPFL – Programa Raízes: o projeto implantou, entre setembro de 2016 e novembro de 2019, um sistema de abastecimento e tecnologias socioambientais para que 807 famílias de nove comunidades dos municípios de João Câmara e São Miguel do Gostoso, no Rio Grande do Norte, tenham acesso a água para consumo.

Premiados na categoria Proteção e restauração de ecossistemas:

  • Sanepar UFPR – Eutrofização de reservatórios: gestão preventiva. Estudos integrados no reservatório Rio Verde : o projeto envolveu 85 pesquisadores de 14 instituições, para a execução de um complexo estudo interdisciplinar para desenvolver um sistema integrado de gestão de bacias com enfoque na prevenção do processo de eutrofização e floração de algas tóxicas;
  • Eco Panplas – Reciclagem a Seco de Embalagens Plásticas Contaminadas de Óleo Lubrificante;
  • Masaic Fertilizantes – Edital da Água.