Portugal: chefe da ONU afirma estar ‘profundamente entristecido’ com mortes em incêndios

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

“Chocado e horrorizado” com as muitas vidas perdidas nos incêndios devastadores que atingiram a região de Pedrógão Grande de Portugal, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, expressou nesse domingo (18) sua profunda tristeza e suas condolências ao governo e ao povo portugueses. Últimas informações apontam pelo menos 60 mortos, e outros 60 feridos.

Foto: Agência Lusa

Foto: Agência Lusa

“Chocado e horrorizado” com as muitas vidas perdidas nos incêndios devastadores que atingiram a região de Pedrógão Grande de Portugal, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, expressou nesse domingo (18) sua profunda tristeza e suas condolências ao governo e ao povo portugueses.

Em um comunicado, o secretário-geral disse que falou no domingo com o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, e com o primeiro-ministro, António Costa, expressando sua “profunda tristeza”.

De acordo com as notícias mais recentes, os incêndios florestais em rápido movimento atravessaram a região arborizada de Pedrógão Grande, em Portugal, cerca de 150 quilômetros a nordeste de Lisboa, deixando 62 mortos e mais de 60 feridos.

“Desejo uma recuperação rápida para os feridos. Neste momento de perda, meus pensamentos e orações estão com as famílias e os entes queridos das vítimas”, disse Guterres.

O chefe da ONU elogiou o governo, os bombeiros, os agentes de resposta de emergência e as organizações da sociedade civil, que não poupam esforços para combater os incêndios e ajudar as pessoas em necessidade.

“As Nações Unidas estão prontas para ajudar de qualquer maneira possível”, concluiu o secretário-geral.

Os bombeiros informaram que os locais de armazenamento de doações já estão lotados. As autoridades disseram que as doações não são mais necessárias, agradecendo a solidariedade global em meio à tragédia.


Comente

comentários