População mundial próxima dos sete bilhões de pessoas: fundamental investir na juventude

Com a população mundial prevista para chegar à marca de sete bilhões em 2011, o novo Diretor Executivo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), que ajuda os países a utilizarem dados sociodemográficos em políticas de redução da pobreza, Babatunde Osotimehin, comprometeu-se a dar atenção à maior população de jovens que o mundo já teve.

Babatunde Osotimehin (UN Photo/Eskinder Debebe)Com a população mundial prevista para chegar à marca de sete bilhões em 2011, o novo Diretor Executivo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), que ajuda os países a utilizarem dados sociodemográficos em políticas de redução da pobreza, Babatunde Osotimehin, comprometeu-se a dar atenção à maior população de jovens que o mundo já teve. “Investir na juventude, sua saúde reprodutiva e igualdade de gênero pode ajudar a colocar os países no caminho para o crescimento econômico acelerado e o desenvolvimento equitativo,” disse.

“Um mundo que se aproxima de uma população de sete bilhões de pessoas é marcado por uma nova dinâmica à qual o UNFPA ajudará a responder,” acrescentou. Osotimehin citou o rápido crescimento urbano na África e na Ásia, a variada diminuição da fertilidade em diversas regiões – com a África apresentando a maior quantidade de nascimentos – o envelhecimento sem precedentes de certas populações e a maior população de jovens da História, que responde por quase um terço da população mundial, sendo que pouco menos de 90% destes vive em países em desenvolvimento. “Eles precisam de apoio, e querem liberdade, participação e dignidade.”

Ele declarou também que o direito à saúde reprodutiva e sexual permanece no cerne do UNFPA, que deve “defender investimentos para países e doadores de um pacote abrangente de serviços integrados de saúde reprodutiva e sexual, bem como educação sexual abrangente,” reafirmando os princípios fundamentais do UNFPA de que “toda pessoa tenha direito à saúde reprodutiva e sexual, todas as gestações sejam desejadas, todos os partos sejam seguros, todos os jovens tenham educação e serviços para crescer saudáveis, toda menina seja tratada com dignidade e respeito, e a violência contra as mulheres acabe.”

Ex-Ministro da Saúde nigeriano com vasta experiência no combate ao HIV/AIDS, Osotimehin, que também atuou como porta-voz africano para a Parceria para a Saúde Materna, Neonatal e Infantil, tornou-se o quarto Diretor Executivo do UNFPA no dia 1° de janeiro, sucedendo Thoraya Ahmed Obaid.