Políticas agrícolas devem melhorar qualidade dos alimentos, diz FAO

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Para enfrentar a má nutrição — seja sob a forma da fome ou da obesidade —, países terão de implementar políticas agrícolas para garantir o abastecimento da população com produtos nutritivos. É o que defende a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Segundo a ONU, problemas como o sobrepeso colocaram em evidência a necessidade de fornecer alimentos saudáveis para as pessoas.

As modificações nas normas de compras públicas tornaram possível que agricultores familiares vendessem seus produtos a instituições públicas, inclusive escolas. Foto: Jaelson Lucas/SMCS

Programas de compras públicas podem ter impacto ambiental e mercadológico, estimulando boas práticas no setor privado. Em escolas estatais do Brasil, a alimentação escolar está associada à oferta de pequenos produtores locais. Foto: Jaelson Lucas/SMCS

Para enfrentar a má nutrição — seja sob a forma da fome ou da obesidade —, países terão de implementar políticas agrícolas para garantir o abastecimento da população com produtos nutritivos. É o que defende a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Segundo a ONU, problemas como o sobrepeso colocaram em evidência a necessidade de fornecer alimentos saudáveis para as pessoas.

Para o diretor da FAO no Brasil, Alan Bojanic, não basta apenas ter acesso a qualquer tipo de comida. As dietas precisam satisfazer as exigências nutricionais mínimas. “Temos um desafio enorme de ao mesmo tempo promover uma alimentação saudável, como garantir que todos tenham acesso a alimentos nutritivos”, alertou o especialista.

Segundo a FAO, os programas e os investimentos agrícolas podem ter efeitos multiplicadores, para além do aumento da produção, se adotarem medidas como a incorporação de objetivos e indicadores sobre nutrição; a avaliação do contexto local para definir atividades adequadas de combate a má nutrição e suas causas; e o foco em populações mais vulneráveis.

Outras recomendações da agência da ONU incluem a manutenção e a gestão adequada da base dos recursos naturais, bem como a diversificação da produção, com a expansão dos cultivos ricos em nutrientes e da pecuária organizada em pequena escala.

“Vivemos tempos em que devemos estar atentos à união da agricultura com a alimentação. O mundo demandará por mais alimentos ao mesmo tempo em que o planeta exigirá medidas de proteção ambiental. Por isso, se faz cada vez mais urgente a adoção de uma produção mais sustentável com melhor aproveitamento dos recursos naturais. Só assim será possível harmonizar produtividade e segurança alimentar para todos”, concluiu Bojanic.


Mais notícias de:

Comente

comentários