PNUD firma acordo com Maranhão para melhoria de Indicadores de Desenvolvimento Humano

Dentre as principais ações listadas pelo governo maranhense destacam-se: erradicar escolas de taipa, promover a inclusão social a partir da agricultura familiar e melhorar as habitações rurais.

Entre as prioridades do governo maranhense estão o fim das escolas de taipa. Foto: Governo do Maranhão

Entre as prioridades do governo maranhense estão o fim das escolas de taipa. Foto: Governo do Maranhão

Ações centradas para a melhoria dos índices e à superação da extrema pobreza e desigualdades sociais nos 30 municípios do Maranhão com piores indicadores no índice de Desenvolvimento Humano. Este foi um dos temas tratados durante a reunião do coordenador residente do Sistema ONU e representante residente do Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil, Jorge Chediek com o governador maranhense, Flávio Dino, em que abordaram o programa “Mais IDH”. Na ocasião, ambos verificaram formas como o PNUD poderá colaborar com o estado na melhoria dos indicadores socioeconômicos.

Dentre as principais ações listadas pelo governo maranhense destacam-se: erradicar escolas de taipa, promover a inclusão social a partir da agricultura familiar, melhorar as habitações rurais, proporcionar água potável para as sedes dos municípios, instalar restaurante populares e realizar um grande mutirão pela alfabetização. Essas ações serão prioritariamente implantadas nos municípios com menor desempenho na medição do IDH no Maranhão.
 
De acordo com Flávio Dino, a ação integrada com organismos nacionais e internacionais contribuirá para o êxito dos programas do governo do estado, tendo como resultado final uma melhor qualidade de vida para quem mais precisa. 

“Essas ações são a reafirmação de um caminho claro que, tanto o governo quanto a prefeitura, optaram por trilhar. O caminho da justiça social e da concepção de que o desenvolvimento econômico isolado não contempla o essencial para o êxito de políticas públicas, que devem ter sempre como foco a população que mais precisa”, disse o governador.