PNUD e governo apresentam programa nacional de voluntariado em São Paulo, Brasília e Porto Alegre

O Programa Nacional de Voluntariado do Brasil, também conhecido como Viva Voluntário, realizou neste mês eventos de lançamento em três cidades brasileiras. São Paulo, Brasília e Porto Alegre receberam representantes da Casa Civil da Presidência da República e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que explicaram como é possível se engajar em atividades de cidadania por meio do projeto.

Voluntários participam de cerimônia, onde receberam certificados de participação, ao final da 1ª edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas (JMPI), em Palmas, no Tocantins. Foto: PNUD

Voluntária na primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas (JMPI), em Palmas, no Tocantins. Foto: PNUD

O Programa Nacional de Voluntariado do Brasil, também conhecido como Viva Voluntário, realizou neste mês eventos de lançamento em três cidades brasileiras. São Paulo, Brasília e Porto Alegre receberam representantes da Casa Civil da Presidência da República e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que explicaram como é possível se engajar em atividades de cidadania por meio do projeto.

O organismo do Executivo e a agência da ONU são responsáveis pela execução da iniciativa. Cada uma das cidades participantes tem uma coordenadora local, que atua em parceria com uma organização do terceiro setor — os Parceiros Voluntários, no caso de São Paulo e Porto Alegre, e Escoteiros do Brasil, em Brasília. A colaboração visa estimular a prática do voluntariado.

O projeto Viva Voluntário tem como principal ferramenta sua plataforma virtual — www.vivavoluntario.org —, que funciona em formato de rede social e conecta oportunidades de voluntariado com pessoas interessadas.

São Paulo

Em São Paulo, o assessor especial da Casa Civil, Bruno Dalcolmo, ressaltou a necessidade de participação da população, sociedade civil e empresas.

“É importante lembrarmos que a plataforma Viva Voluntário é algo vivo. Precisamos fazer uso dela com frequência para que seja uma ferramenta efetiva e com melhoras constantes”, ressaltou o representante do Executivo no lançamento, realizado na quarta-feira (17), na Escola Municipal de Administração Pública de São Paulo (EMASP).

Durante o evento, a gerente de projetos sociais da Fundação Telefônica Vivo, Karina Daidone, apresentou iniciativas de voluntariado que mobilizam os funcionários do Grupo Telefônica. O projeto venceu o prêmio Viva Voluntário 2018 na categoria Voluntariado Empresarial.

Também presente, a representante da organização Compassiva, Débora Blair, explicou como são organizadas as aulas de português e os processos de validação de diplomas para refugiados que vivem em São Paulo.

Entre os participantes, estiveram ainda a coordenadora do Programa de Voluntários das Nações Unidas (UNV), Renata Cunha Farias, a coordenadora da Parceiros Voluntários em São Paulo, Patrícia Focchi, a assistente de comunicação do projeto Viva Voluntário, Júlia Matravolgyi, a coordenadora local do projeto, Elizângela Santos, e a diretora da divisão técnica da EMASP, Mariana Messas.

Brasília

Na capital federal, a coordenadora da unidade de Paz e Governança do PNUD, Moema Freire, lembrou a importância de articular os setores público e privado no fomento ao voluntariado. “Agradecemos à Casa Civil pelo empenho na condução do projeto e à equipe do Viva Voluntário, que tem dialogado com diversas organizações para a consolidação das atividades”, disse a especialista em cerimônia na quinta-feira (18), no Ministério do Planejamento.

A primeira-dama do Distrito Federal, Marcia Rollemberg, participou do evento e ressaltou as semelhanças entre o Viva Voluntário e a plataforma Brasília Cidadã, que já conta 665.172 horas de trabalho voluntário cadastradas em sua base.

O diretor de Crescimento dos Escoteiros de Brasília, Hugo Sales, explicou a parceria em âmbito regional e a coordenadora local do projeto, Vitoria Faoro, apresentou detalhes do Viva Voluntário para a região Centro-Oeste. O coordenador e idealizador do projeto Curumim Cultural, Bruno Lopes, que recebeu o prêmio Viva Voluntário 2018, falou sobre as boas práticas de voluntariado cadastradas no portal.

Também participam o presidente e fundador do Instituto Doando Vida, Henrique Andrade, e a diretora do Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH), Irmã Rosita.

Porto Alegre

Na sexta-feira (19), foi a vez da região Sul receber organizações do terceiro setor, representantes de instituições e voluntários para a apresentação do programa nacional. No lançamento em Porto Alegre, o representante da Parceiros Voluntários, Guilherme Borba, explicou a parceria da organização com o PNUD para auxiliar as coordenadoras locais do Viva Voluntário.

A fundadora do Centro Social da Rua, Letícia Andrade, apresentou o seu projeto, que venceu o Prêmio Viva Voluntário 2018 na categoria Líder Voluntário. Já a integrante do Grupo de Assessoria a Imigrantes e Refugiados (GAIRE), Carmel Silveira, divulgou o trabalho realizado na capital gaúcha e as ações de voluntariado da organização que estão inseridas na plataforma.

Em novembro, Boa Vista e Salvador terão eventos de lançamento da plataforma Viva Voluntário.