PNUD apoia projeto brasileiro para promover desenvolvimento infantil e vínculos familiares

O fortalecimento do vínculo familiar e a estimulação cognitiva na primeira infância são os objetivos do Criança Feliz, projeto do Governo Federal que tem o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Iniciativa usa metodologia de agências da ONU para promover comunicação e laços afetivos entre meninos e meninas de até seis anos e seus pais e cuidadores.

À direita, Dayane e o filho Jadernilson Felipe, beneficiários do Programa Criança Feliz. Foto: Secretaria Especial do Desenvolvimento Social

À direita, Dayane e o filho Jadernilson Felipe, beneficiários do Programa Criança Feliz. Foto: Secretaria Especial do Desenvolvimento Social

O fortalecimento do vínculo familiar e a estimulação cognitiva na primeira infância são os objetivos do Criança Feliz, projeto do Governo Federal que tem o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Iniciativa usa metodologia de agências da ONU para promover comunicação e laços afetivos entre meninos e meninas de até seis anos e seus pais e cuidadores.

O principal pilar do projeto é a realização de visitas domiciliares de equipes do poder público, durante as quais é aplicado o método conhecido como Care for Child Development (Cuidados para o Desenvolvimento da Criança, em português). Essa estratégia, concebida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), recomenda a realização de exercícios de interação e brincadeiras, engajando os pais no desenvolvimento cognitivo das crianças.

A atuação intersetorial é outro fundamento do Criança Feliz. O programa agrega políticas públicas de assistência social, educação, cultura, saúde, direitos humanos e direitos da criança e do adolescente. Os visitadores atuam como pontes que conectam as famílias a essa rede institucional, articulada com os Centro de Referências de Assistência Social (CRAS). Os centros são unidades que oferecem os serviços do Sistema Único de Assistência Social (SUAS).

Desde a implementação do Criança Feliz, o PNUD apoia o fortalecimento da Secretaria Nacional de Promoção do Desenvolvimento Humano, responsável pela gestão do programa. Essa assistência se dá por meio de projetos financiados pelo próprio Ministério da Cidadania e por doadores externos, como as Fundações Maria Cecília Souto Vidigal, Itaú Social e Bernard van Leer.

Lançado em 2016, o projeto atende gestantes, crianças de até três anos que sejam beneficiárias do Bolsa Família e crianças de até seis anos que sejam auxiliadas pelo Benefício Assistencial ao Idoso e à Pessoa com Deficiência. Também são contempladas as crianças de até seis anos afastadas do convívio familiar, em razão da aplicação de medidas protetivas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).


Comente

comentários