PNUD apoia Congresso Brasileiro e Latino-Americano de Agroecologia em Brasília

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) apoia o Congresso Brasileiro e Latino-Americano de Agroecologia 2017, que ocorre de terça (12) a sexta-feira (15) em Brasília (DF) e reúne pesquisadores e trabalhadores ligados a práticas agroecológicas e ao uso sustentável da biodiversidade.

A contribuição do PNUD ao congresso ocorre por meio do projeto Bem Diverso, executado em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), que organiza o evento.

Oficina em manejo de açaizais de várzea promovida pelo projeto Bem Diverso em Afuá, Ilha do Marajó (PA). Foto: Projeto Bem Diverso.

Oficina em manejo de açaizais de várzea promovida pelo projeto Bem Diverso em Afuá, Ilha do Marajó (PA). Foto: Projeto Bem Diverso.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) apoia o Congresso Brasileiro e Latino-Americano de Agroecologia 2017, que ocorre de terça (12) a sexta-feira (15) em Brasília (DF) e reúne pesquisadores e trabalhadores ligados a práticas agroecológicas e ao uso sustentável da biodiversidade.

A contribuição do PNUD ao congresso ocorre por meio do projeto Bem Diverso, executado em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), que organiza o evento.

A expectativa é de que o encontro reúna 5 mil pessoas por dia, provenientes de diversos estados brasileiros e países da América Latina. Serão mais de 120 eventos, entre palestras, oficinas, plenárias, reuniões abertas, mesas redondas, minicursos, feira agroecológica e rodas de conversa visando às trocas de experiência.

A agenda inclui o VI Congresso Latino-Americano de Agroecologia, o X Congresso Brasileiro de Agroecologia, o IX Encontro Nacional dos Estudantes de Agroecologia e o V Seminário de Agroecologia do DF e Entorno.

O projeto Bem Diverso estará presente com colaboradores e parceiros provenientes de Caatinga, Cerrado e Amazônia. Representantes das comunidades e cooperativas locais foram convidados a expor seus produtos. Eles estarão no estande criado em parceria com a Central do Cerrado, organização que trabalha com a promoção de produtos da biodiversidade. Além do Bem Diverso, haverá espaço para cooperativas e associações parceiras, como a COOPERCOUC, ASEMA e COPAB.

O projeto também participará ativamente do Caminhos do Saber, um espaço para a construção e a troca de conhecimento e experiências sobre agroecologia e biodiversidade. O objetivo é discutir a relação da agroecologia com os desafios da sociedade de uma forma dinâmica. O Bem Diverso participa de uma roda de conversas na tenda Sociobiodiversidade em 13 de setembro, a partir das 16h00.

Bem Diverso

Implementado pelo PNUD e coordenado pela EMBRAPA, a atuação do projeto Bem Diverso abrange três biomas em seis “territórios da cidadania”, áreas que vão além do limite dos municípios. São dois territórios por bioma, atingindo a Amazônia, o Cerrado e a Caatinga.

Financiado com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF), o principal objetivo do projeto é a promoção e uso sustentável da biodiversidade, trabalhando com comunidades locais para estimular boas práticas na convivência com a diversidade.

Para isso, são trabalhadas 12 espécies prioritárias, típicas das regiões e que têm potencial de promoção, exploração e comercialização. O objetivo é que essas espécies sejam um elemento consolidado de geração de renda para agricultores familiares. Na Amazônia, na região do Acre, por exemplo, há estímulo à produção de castanha. O mesmo acontece com o babaçu, na região do Maranhão, histórica pela relação do movimento das quebradeiras de coco.

Segundo a gerente de projetos do PNUD, Patrícia Benthien, o Bem Diverso é importante por estimular a preservação da biodiversidade a partir da capacitação e do engajamento das pessoas. “Nosso grande foco é trabalhar para o desenvolvimento. A sustentabilidade só pode ser construída a partir da participação e do empoderamento das pessoas. O grande mote desse projeto é incentivar o uso e manejo sustentável da biodiversidade a partir da disseminação de boas práticas”, disse.

O projeto trabalha com a capacitação de comunidades, mas também promove a cadeia de valor, o acesso ao mercado e mapeia incentivos financeiros existentes para operacionalizar sua comercialização. O objetivo é auxiliar na promoção do desenvolvimento local e simultaneamente auxiliar na conservação da biodiversidade brasileira.

Serviço

VI Congresso Latino-Americano de Agroecologia
De 12 a 15 de setembro de 2017
Horário: Das 8h00 às 22h00
Local: Centro de Convenções Ulysses Guimarães – St. de Divulgação Cultural 05 Eixo Monumental – Brasília (DF)
Mais informações: http://agroecologia2017.com/


Mais notícias de:

Comente

comentários