Plataforma empresarial sobre igualdade de gênero ganha versão em português

A Rede Brasil do Pacto Global lançou nesta segunda-feira (12), em São Paulo, a versão em português de uma plataforma da ONU sobre igualdade de gênero nas empresas. Utilizada por mais de 800 companhias em 90 países, a ferramenta gratuita permite medir disparidades entre homens e mulheres no mundo corporativo. A iniciativa chega ao Brasil com o apoio dos governos da Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia.

Plataforma foi lançada em durante o seminário 'Gênero e Inclusão nas Empresas', na sede do Insper, em São Paulo. Foto: Governo da Suécia

Plataforma foi lançada em durante o seminário ‘Gênero e Inclusão nas Empresas’, na sede do Insper, em São Paulo. Foto: Governo da Suécia

A Rede Brasil do Pacto Global lançou nesta segunda-feira (12), em São Paulo, a versão em português de uma plataforma da ONU sobre igualdade de gênero nas empresas. Utilizada por mais de 800 companhias em 90 países, a ferramenta gratuita permite medir disparidades entre homens e mulheres no mundo corporativo. A iniciativa chega ao Brasil com o apoio dos governos da Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia.

O sistema online convida gestores a responder 18 questões de múltipla escolha, que abordam temas como liderança, ambiente de trabalho, mercado e comunidade. Tópicos incluem o compromisso com uma estratégia de igualdade, pagamento igualitário, recrutamento, apoio aos pais e cuidadores, saúde da mulher, entre outros. Cada pergunta é elaborada de acordo com o modelo de gestão e atende a empresas de todos os tamanhos.

A partir das respostas, a plataforma ajuda as instituições do setor privado a avaliar suas políticas internas sobre gênero e empoderamento feminino. O portal identifica oportunidades e áreas que precisam ser melhoradas.

A Ferramenta de Análise de Diferenças de Gênero e Princípios de Empoderamento das Mulheres é fruto de uma parceria do Pacto Global com a ONU Mulheres e o braço empresarial do Banco Inter-Americano de Desenvolvimento (BID Invest).

A versão em português do sistema foi apresentada no seminário “Gênero e Inclusão nas Empresas”, na sede do Insper, na capital paulista. A plataforma é implementada pelo braço brasileiro do Pacto em conjunto com o projeto Diálogos Nórdicos, uma iniciativa da Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia para discutir desafios do Brasil nas áreas de igualdade de gênero, sustentabilidade e transparência.

Acesse a plataforma clicando aqui.

Dados do Fórum Econômico Mundial sobre competitividade global indicam que a igualdade de gênero é um dos fatores — ao lado da etnia, orientação sexual ou religião — que beneficiam o crescimento econômico de sociedades inclusivas e diversificadas.

Um estudo do Banco Mundial — Mulheres, Empresa e o Direito 2018 — afirma ainda que se houvesse igualdade salarial entre homens e mulheres, o Produto Interno Bruto (PIB) global seria 26% maior.

Já no PIB do Brasil, haveria um aumento de 3,3%, ou seja, o equivalente a 382 bilhões de reais. Segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as mulheres são mais da metade (106 milhões) dos 207 milhões de brasileiros. Elas correspondem a 43% da força de trabalho.

O levantamento do Banco Mundial indica também que, no Brasil, faltam medidas para assegurar a igualdade de gênero — como a licença parental e a remuneração igualitária entre homens e mulheres.