PIB é insuficiente para medir grau de desenvolvimento sustentável, afirma Secretário-Geral da ONU

Para Ban Ki-moon, resultados da Rio+20 precisam trazer novos indicadores que avaliem desenvolvimento econômico, social e ambiental.

Para o Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, o indicador econômico Produto Interno Bruto (PIB) é insuficiente para medir o grau de desenvolvimento sustentável do país por não incorporar avaliações dos custos ambientais e sociais. Na sua opinião, os resultados finais da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) precisam trazer novos parâmetros de medição do desenvolvimento econômico.

“Precisamos de um novo paradigma econômico que reconheça a paridade entre os três pilares do desenvolvimento sustentável. O bem-estar social, econômico e ambiental são indivisíveis”, disse Ban Ki-moon, nesta segunda-feira (02/04), durante o encontro “Felicidade e Bem-Estar: Definindo um novo Paradigma Econômico”, de iniciativa do Butão.

Um dos exemplos positivos citados foi o próprio país anfitrião do evento. O Butão desde 1970 adota uma medida de prosperidade nacional chamada “Felicidade Interna Bruta” (FIB), indicador que leva mais em conta o bem-estar social do que a produtividade econômica.

O conceito já serviu de exemplo para países como Costa Rica e Reino Unido. Ano passado, a Assembleia Geral da ONU aprovou uma resolução que descreve o PIB como um indicador que não reflete adequadamente a felicidade e o bem-estar das pessoas de um país.

“É fundamental criar uma nova e criativa visão que guie para a sustentabilidade e o nosso futuro. Precisamos de algo que traga uma abordagem mais inclusiva, equitativa e balanceada para promover a sustentabilidade, a erradicação da pobreza e a melhora do bem-estar e felicidade”, completou o Presidente da Assembleia Geral, Nassir Abdulaziz Al-Nasser.