Perita da ONU em hanseníase visita Brasil

A relatora especial para a Eliminação da Discriminação contra as Pessoas Afetadas pela Hanseníase e seus Familiares, Alice Cruz, visitará o Brasil entre os dias 7 e 14 de maio, quando conversará com autoridades e portadores da doença. Ela dará coletiva de imprensa no dia 14 de maio, em Brasília.

Portadores de hanseníase no Nepal - Foto: ILEP

Portadores de hanseníase no Nepal – Foto: ILEP

A relatora especial para a Eliminação da Discriminação contra as Pessoas Afetadas pela Hanseníase e seus Familiares, Alice Cruz, visitará o Brasil entre os dias 7 e 14 de maio. É a primeira visita oficial dela no cargo.

“Estou muito interessada em saber as medidas concretas que as autoridades estão tomando para proteger e promover os direitos humanos das pessoas afetadas pela hanseníase e seus familiares. Também pretendo identificar desafios e lacunas na eliminação da discriminação contra as pessoas afetadas pela hanseníase, para elaborar recomendações,” afirmou Alice Cruz.

“A minha visita se concentrará nos temas da discriminação estrutural e interpessoal, políticas anti-discriminatórias e melhores estratégias para a redução do estigma e desenvolvimento inclusivo com relação às pessoas afetadas”, acrescentou.

A relatora especial terá reuniões com representantes dos governos federal e locais, organizações da sociedade civil, peritos e pessoas afetadas pela hanseníase, seus familiares e representantes de organizações que os representam.

Ela visitará colônias de hanseníase e comunidades afetadas pela doença para discutir prioridades e preocupações. O relatório da viagem, com resultados e recomendações, será apresentado ao Conselho de Direitos Humanos da ONU em junho de 2020.

Coletiva de imprensa – A relatora especial dará uma coletiva de imprensa ao fim da missão, no dia 14 de maio, na Casa da ONU, em Brasília. O acesso é limitado a jornalistas e é necessário credenciamento de imprensa.

SERVIÇO
Coletiva de imprensa – Alice Cruz, relatora especial para a Eliminação da Discriminação contra as Pessoas Afetadas pela Hanseníase e seus Familiares
Data: Dia 14 de maio – 11h30
Local: Casa da ONU – Complexo Sérgio Vieira de Mello – Sala Luis Carlos Costa.
Setor de Embaixadas Norte – Lote 17 – Asa Norte, Brasília/DF, 70800-922

Credenciamento de imprensa (nome, veículo e contatos) através do email lorenzo.casagrande@one.un.org

Informações para a imprensa: Roberta Caldo – assessora de comunicação da ONU no Brasil – caldo@un.org / (21) 982020171.

Alice Cruz é a primeira Relatora Especial para a Eliminação da Discriminação contra as Pessoas Afetadas Pela Hanseníase e seus Familiares, indicada para o cargo em novembro de 2017 pelo Conselho de Direitos Humanos. Ela trabalhou como professora na Escola de Direito da Universidade Andina Simón Bolívar, no Equador, e em diversas universidades portuguesas como pesquisadora em saúde e direitos humanos, em particular hanseníase.

Participou da elaboração do Guia da Organização Mundial da Saúde para Fortalecer a Participação de Pessoas Afetadas pela Hanseníase em Serviços de Hanseníase. Ela tem pesquisado e escrito sobre o tema de eliminação da hanseníase e o estigma atrelado à doença e interage com diversos interlocutores, incluindo pessoas afetadas pela hanseníase.

Os relatores especiais são parte dos Procedimentos Especiais do Conselho de Direitos Humanos. Os Procedimentos Especiais é o maior órgão de especialistas independentes do Sistema de Direitos Humanos das Nações Unidas e designa o mecanismo independente que investiga e monitora fatos do Conselho que responde tanto a situações específicas de países ou questões temáticas em todas as partes do mundo.

Estes especialistas trabalham de forma voluntária; não são funcionários da ONU e não recebem salário por seu trabalho. São independentes de todos os governos ou organizações e servem em sua capacidade individual.

Pedidos de imprensa relacionados a relacionados a relatores independentes, por favor entre com contato com Jeremy Laurence, Direitos Humanos da ONU – Unidade de mídia (+41 22 917 9383 / jlaurence@ohchr.org)


Comente

comentários