Pela terceira vez no país, Embaixadora do ACNUR visita deslocados nos subúrbios de Bagdá

A Embaixadora da Boa Vontade do ACNUR, Angelina Jolie, retornou hoje ao Iraque para oferecer seu apoio aos milhares de iraquianos que permanecem deslocados dentro do seu próprio país.

Brasília, 23 de julho de 2009 – A Embaixadora da Boa Vontade do ACNUR, Angelina Jolie, retornou hoje ao Iraque para oferecer seu apoio aos milhares de iraquianos que permanecem deslocados dentro do seu próprio país. Ela visitou um precário acampamento para deslocados internos no subúrbio de Chikook, em Bagdá, onde encontrou quatro famílias de deslocados originários do distrito de Abu Ghraib e de outros subúrbios da capital iraquiana.

Apesar das dificuldades no Iraque, a Embaixadora do ACNUR disse que este é um momento de oportunidade para os iraquianos reconstruírem suas vidas. “Este é um momento onde as coisas parecem estar melhorando, mas os iraquianos necessitam de muito apoio e ajuda para reconstruir suas vidas”, afirmou Angelina Jolie.

As famílias que ela encontrou reclamaram que não têm dinheiro para ir ao médico e comprar alimentos, e que suas crianças não podem ir para a escola. O iraquiano Ali*, de 43 anos, que se encontrou com Angelina Jolie, construiu uma pequena habitação em Chikook após escapar de Abu Ghraib há quatro anos, com sua mulher de 38 anos e seis crianças. “A única ajuda que temos vem do ACNUR. São as únicas pessoas que batem em nossa porta. Mas olhe para nossa vida, é muito dura”, disse. “É preciso ter muita força para sobreviver a esta situação. Não saberia se teria forças suficientes para enfrentar essa realidade”, disse Angelina, em reposta.

Em uma casa próxima, a famosa atriz encontrou uma família de nove pessoas, incluindo crianças que não estão indo para a escola e um bebê com várias feridas na pele. Angelina manteve o bebê em seu colo durante a visita. Uma das mulheres da família estudava Direito antes de ser obrigada a deixar sua casa por casa da violência no Iraque e, com isso, interromper seus estudos.

“Sem chances”, disse a família em uníssono quando perguntada por Angelina se queriam retornar para sua cidade de origem. “Nosso vizinhos voltaram, e três filhas foram assassinadas”, afirmou a ex-estudante de Direito, Salwa*. “Por que isso está acontecendo conosco ?”, perguntou ela.

“Eles têm o direito de sentir que isso não é justo”, disse Angelina Jolie, que pretende retornar ao Iraque. “Quero voltar e encontrar vocês em um lugar melhor, numa situação diferente. Esperamos que o ACNUR e o governo possam apoiá-los em conseguir um pedaçõ de terra. Vocês precisam de ajuda não apenas porque são pobres, mas porque vocês são o futuro do Iraque”, enfatizou a atriz, ressaltando que gostaria que Salwa concluísse seu curso de advocacia. “A realidade neste campo é dura, mas algumas pessoas estão retornando para casa ou para outras áreas mais seguras. Existem algumas progresso em relação ao retorno de deslocados, embora ainda tímido”, comentou Angelina Jolie, posteriormente.

Mais de 20 mil pessoas vivem em Chikook, a maioria mulheres e crianças. Há falta de água potável e estradas pavimentadas. A área está tomada por lixo, embora o ACNUR tenha organizado um mutirão de limpeza no início deste ano. Durante os últimos meses, a agência da ONU para refugiados vem abastecendo o subúrbio com água potável levada por caminhões e trabalhado na reconstrução do sistema de água, além de alguns reparos nos abrigos.

O ACNUR estima que mais de 1,6 milhão de iraquianos foram deslocados internamento (dentro de seu próprio país) devido a violência sectária que se iniciou no país em fevereiro de 2006, após o bombardeio de uma mesquita na cidade história de Samarra. Cerca de 300 mil pessoas já retornaram para suas casas em meio a uma melhoria na segurança desde meados de 2008.

Desde abril deste ano, o ACNUR vem provendo a reconstrução e a melhoria de abrigos para cerca de cinco mil famílias. Cerca de 20 mil casas serão reconstruídas até o final deste ano. Centenas de milhares de refugiados iraquianos permanecem em países vizinhos, principalmente a Síria e a Jordânia.

Esta é a terceira viagem de Angelina Jolie ao Iraque. Em agosto de 2007, ela visitou 1.200 refugiados que viviam no campo de Al Walled, próximo à fronteira com a Síria. Em fevereiro do ano passado, ela retornou ao país para enfatizar os problemas vividos pelos deslocados internos e pedir ajuda para eles.

(* nomes trocados por razões de proteção).

Leia mais em www.acnur.org.br