Peixe já responde por quase 17% do consumo global de proteína, afirma novo relatório da FAO

Em 2012, estima-se que o comércio de peixe chegou a quase 130 milhões de dólares. A pesca e a aquicultura são os meios de subsistência para 12% da população mundial.

Foto: Banco Mundial/Curt Carnemark

A última edição do relatório “O Estado do Mundo de Pesca e Aquicultura“, produzido pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), lançada nesta segunda-feira (19), destaca o grande potencial da pesca e da aquicultura em resposta à crescente demanda por alimentos. Se gerenciados de forma sustentável, oceanos e mares do planeta serão cruciais para gerar empregos e alimentar o mundo. Hoje, os peixes respondem por quase 17% do consumo da população global de proteína.

“A saúde de nosso planeta, bem como a nossa própria saúde e segurança alimentar futuras dependem de como lidamos com o mundo azul”, afirmou o diretor geral da FAO, o brasileiro José Graziano da Silva.

A pesca e a aquicultura são meio de subsistência de 10% a 12% da população do mundo. Desde 1990, o emprego no setor tem crescido num ritmo mais acelerado do que a população mundial, e em 2012 gerou empregos para cerca de 60 milhões de pessoas.

O peixe permanece entre os alimentos mais comercializados em todo o mundo e já responde por quase 17% do consumo da população global de proteína. Em 2012, estima-se que o comércio de peixe chegou a quase 130 milhões de dólares.