Patti Smith participa de cúpula global de ação pelo clima em San Francisco

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

A Pathway to Paris, iniciativa da 350.org — ONG que promove o uso de energias renováveis no mundo — e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) promovem em 14 de setembro um show em San Francisco, Califórnia (EUA), com a cantora, compositora e escritora norte-americana Patti Smith.

Programado para encerrar a Cúpula Global de Ação pelo Clima, o show chamará a atenção para o potencial das cidades de ir além dos objetivos relacionados ao Acordo de Paris.

Cantora Patti Smith (ao centro) e convidados durante o concerto "Pathway to Paris", em 2017. Foto: PNUD

Cantora Patti Smith (ao centro) e convidados durante o concerto “Pathway to Paris”, em 2017. Foto: PNUD

A Pathway to Paris, iniciativa da 350.org — ONG que promove o uso de energias renováveis no mundo — e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) promovem em 14 de setembro um show em San Francisco, Califórnia (EUA), com a cantora, compositora e escritora norte-americana Patti Smith.

Programado para encerrar a Cúpula Global de Ação pelo Clima, o show chamará a atenção para o potencial das cidades de ir além dos objetivos relacionados ao Acordo de Paris.

Ao reunir musicistas, pensadores e formuladores de políticas públicas, o evento será também um chamado para a ação, um convite à comunidade internacional para aspirar a um futuro climaticamente seguro para todos.

O show marca a quarta colaboração entre Pathway to Paris e PNUD, que já uniram forças nos últimos três anos para realizar concertos. Os primeiros deles, realizados na capital francesa em 2015, coincidiram com a adoção do Acordo de Paris, enquanto os espetáculos de 2016 e de 2017 celebraram a ação pelo clima por parte de atores estatais e não estatais.

Em 2017, a parceria resultou em um concerto no histórico Carnegie Hall, em Nova Iorque, onde a Pathway to Paris anunciou o lançamento da inciativa “1000 Cidades”. A proposta da iniciativa é convidar todas as cidades do mundo a fazer a transição de combustíveis fósseis para 100% de energia renovável até 2040, de forma a cumprir o Acordo de Paris.

“No mundo da música, a melhor maneira de melhorar é por meio da cooperação. O mesmo vale para essa questão crítica da mudança do clima. Devemos nos unir para fazer dessa cooperação a mais ambiciosa do século”, declarou o cofundador da Pathway to Paris, Jesse Paris Smith.

“As cidades desempenham um papel importante na transição da era dos combustíveis fósseis para um mundo renovável. É chegada a hora de realizarmos essa mudança e tornar as cidades mais sustentáveis e resilientes para todos nós e para as futuras gerações”, afirmou a cofundadora da Pathway to Paris, Rebecca Foon.

Além de Patti Smith, participam do show Bob Weir, um dos fundadores da banda Grateful Dead; Flea, do Red Hot Chili Peppers; o músico tibetano Tenzin Choegyal; a cantora francesa de pop-soul Imany; o artista islandês e dinamarquês Olafur Eliasson; e os fundadores da Pathway to Paris, Jesse Paris e Rebecca Foon. Bill McKibben, da 350.org, também estará entre os que farão discursos no evento.

Olafur Eliasson protagonizará uma obra de arte coletiva e interativa. Ele fará uma coreografia que levará o público a segurar uma lanterna solar, tendo como resultado um “nascer do sol” com energia solar. O objetivo é despertar a consciência sobre a importância da ação pelo clima e da igualdade na distribuição de energia. Os recursos arrecadados com o evento serão doados à 350.org, à Pathway to Paris e ao PNUD.


Mais notícias de:

Comente

comentários