Parceria entre PNUD, Seppir e Fundação Ford sobre quilombolas recebe prêmio por inovação

O projeto de integração de dados do Programa Brasil Quilombola contempla uma reivindicação dos movimentos sociais por mais transparência na gestão da iniciativa.

O projeto de integração de dados do Programa Brasil Quilombola busca, entre outras coisas, a análise dos seus territórios. Foto: PNUD/Jean Marconi

O projeto de integração de dados do Programa Brasil Quilombola busca, entre outras coisas, a análise dos seus territórios. Foto: PNUD/Jean Marconi

Foi premiado na última terça-feira (07) o projeto de integração de dados do Programa Brasil Quilombola pelo 19º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal, promovido pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap). O concurso totalizou 136 inscrições válidas, e as 10 iniciativas vencedoras foram agrupadas em seis áreas temáticas. O projeto fazia parte da área temática sobre avaliação e monitoramento de políticas públicas.

O projeto representa uma das ferramentas desenvolvidas por meio da iniciativa Quilombos Sustentáveis, uma parceria entre a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Fundação Ford e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Ele contempla, de um lado, uma reivindicação dos movimentos sociais por maior transparência na gestão do Programa, de outro lado, uma necessidade gerencial de produzir informações articuladas sobre os territórios e comunidades, promovendo maior eficácia nas ações implementadas.

Além de padronizar formatos e promover a integração de bancos de dados, o projeto também está colaborando para o desenvolvimento de uma plataforma eletrônica denominada Sistema de Monitoramento do Programa Brasil Quilombola, que disponibiliza de forma didática e interativa, informação de políticas estratégicas para a promoção da pauta quilombola. A principal ferramenta que compõe o Sistema é um site, por meio do qual podem ser acessados painéis e mapas sobre a realidade da população quilombola.