Parceria entre ONU e governos é vital para acabar com a exploração e abuso sexual

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Ao reconhecer os avanços realizados, Jean-Pierre Lacroix, subsecretário-geral da ONU de Operações de Manutenção da Paz, disse que, apesar dos esforços, “os relatórios persistem, envolvendo todas as categorias de pessoal, durante a manutenção da paz e no Sistema das Nações Unidas de modo mais amplo”. Em fevereiro, ONU lançou estratégia contra as violações.

Subsecretário-geral de Apoio de Campo, Atul Khare, fala a Estados-membros da ONU. Foto: ONU/Frédéric Fath

Subsecretário-geral de Apoio de Campo, Atul Khare, fala a Estados-membros da ONU. Foto: ONU/Frédéric Fath

Representantes das Nações Unidas sublinharam na última quinta-feira (14) a importância de uma forte parceria entre a Organização e os Estados-membros para fazer avançar os esforços para prevenir e enfrentar a exploração e o abuso sexual.

“Juntos, fortalecemos nossos esforços”, disse o subsecretário-geral para o Apoio de Campo, Atul Khare, em uma reunião na sede da ONU com mais de 60 Estados-membros, incluindo contribuintes de tropas e policiais.

“Temos maior transparência em nossos relatórios e nossa informação pública; as investigações, quer seja pelas Nações Unidas ou pelos Estados-membros, estão sendo concluídas mais rapidamente. Estamos expandindo nossa assistência às vítimas, inclusive através do estabelecimento de um fundo fiduciário para o qual contamos com o seu apoio”, observou.

Ao reconhecer os avanços realizados, Jean-Pierre Lacroix, subsecretário-geral da ONU de Operações de Manutenção da Paz, acrescentou que “apesar dos nossos esforços, os relatórios persistem, envolvendo todas as categorias de pessoal, durante a manutenção da paz e no Sistema das Nações Unidas de modo mais amplo”.

Como parte do compromisso contínuo do Secretariado com os Estados-membros, a reunião discutiu as propostas em curso relativas ao reforço das investigações e da cooperação entre os Estados-membros e as Nações Unidas, promovendo uma maior responsabilização e reforçando o apoio às vítimas.

A reunião também abordou padrões uniformes de investigações e orientação operacional sobre a resolução 2272 (2016) do Conselho de Segurança das Nações Unidas, que trata da exploração e abuso sexual por forças de paz.

O secretário-geral da ONU, em seu relatório mais recente, datado de 28 de fevereiro, definiu sua estratégia para prevenir e combater a exploração e o abuso sexual.

O documento centra a resposta ao problema em torno de quatro elementos: prioridade para direitos e dignidade das vítimas; acabar com a impunidade para os culpados de crimes e abusos; aproveitar o conhecimento e a sabedoria de parceiros externos como a sociedade civil, comunidades locais e especialistas; e aumentar a conscientização e compartilhar as melhores práticas.


Comente

comentários