Parceiros remotos ajudam músico brasileiro a reduzir o estresse durante a pandemia

Em apenas dois dias, três amigos compuseram e gravaram uma música, apesar de dois estarem em uma mesma cidade e o terceiro a mais de 300 km de distância. É assim que o músico e compositor Vinicius Leal lida com o estresse de estar preso em uma cidade há quase um mês devido à crise do coronavírus.

Saiba mais sobre a iniciativa que pode ajuda a promover o bem estar, como recomendam os especialistas em saúde.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em apenas dois dias, três amigos compuseram e gravaram uma música, apesar de dois estarem em uma mesma cidade e o terceiro a mais de 300 km de distância. É assim que o músico e compositor Vinicius Leal lida com o estresse de estar preso em uma cidade há quase um mês devido à crise do coronavírus.

O brasileiro mora na cidade francesa de Nice, onde faz parte da banda The Troubadours, que toca em festas e eventos ao redor do mundo. O grupo fez 198 apresentações em mais de 30 países em 2019.

Vinicius veio para o Brasil a passeio e estava em Bagé, município brasileiro na fronteira com o Uruguai, quando autoridades locais decidiram fechar completamente a cidade, de modo que apenas urgências são autorizadas a entrar e sair. Em entrevista ao Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), ele contou que está com a esposa e dois filhos, mas duas enteadas permanecem na França.

Em Bagé, a família sofre com o racionamento de água que ocorre devido à falta de chuva. Apesar disso, Vinicius encontrou na música uma maneira de lidar com o estresse.

“(A música) me mantém ocupado, assim me concentro em coisas boas e não tenho tempo para me preocupar com a pandemia ou com fake news”, diz. Nesta semana, Vinicius vai fazer um show online para o aniversário de um cliente na Inglaterra. Ainda assim, 27 apresentações foram canceladas só em março e abril.

A música “Chovendo na fronteira” foi composta em apenas dois dias. Vinicius gravou a ideia inicial e o sogro Júlio Pimentel, músico e compositor, ajustou o ritmo. O material foi então enviado a Sandro Cartier, professor de percussão na Universidade Federal de Santa Maria, que fica a 300 km de distância. Ele adicionou instrumentos e canto, gravou e enviou para Vinicius. A composição inclui bateria, percussão, baixo, violão, guitarra, piano e canto.

Atualmente, músicos franceses e portugueses querem participar do projeto. “Agora é o momento perfeito para concluir projetos pendentes”, Leal aconselha. “Temos tempo e isso reduz a frustração das ideias não concluídas.”

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), é importante ver, ler e ouvir o mínimo possível de notícias sobre o COVID-19, já que o excesso dessas atividades causa ansiedade e angústia. Especialistas em saúde também aconselham que a população invista tempo em projetos pessoais que sejam prazerosos, mas desafiadores o suficiente para promover motivação. Tocar um instrumento, como Leal, ajuda a promover o bem-estar e a reduzir os níveis de estresse.  A especialista em estress da equipe de país da ONU Brasil também aconselha os funcionários a buscar maneiras de relaxar enquanto trabalham durante a pandemia.