Parceira entre agência da ONU e Mauritânia pretende aumentar produção de alimentos

Nova parceria entre Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola da ONU (FIDA) e a Mauritânia, país do noroeste da África, busca impulsionar financiamento e nutrição de 300 mil agricultores no sul do país.

Na Mauritânia, membros de uma cooperativa cultivam vegetais com sementes fornecidas pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Foto: PNUD/Oumou Sow

Na Mauritânia, membros de uma cooperativa cultivam vegetais com sementes fornecidas pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Foto: PNUD/Oumou Sow

Uma nova parceria entre o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola da ONU (FIDA) e a Mauritânia pode impulsionar o financiamento e a nutrição de cerca de 300 mil agricultores do sul do país.

O acordo de desenvolvimento inclusivo, assinado em Roma pelo vice-presidente do FIDA, Michel Mordasini, e pela embaixadora da Mauritânia na Itália, Mariem Aouffa, vai custar um total de 45,2 milhões de dólares.

A primeira fase do programa vai focar em horticultura; avicultura; produção de leite de cabra; e produtos florestais não madeireiros. A segunda etapa deve incluir a pesca, novas culturas e atividades geradoras de renda.

Se bem-sucedido, o projeto deve ajudar mais de 285 mil agricultores em seis regiões do país que atualmente importam 60% de seus alimentos básicos.

O acordo também abordará a questão das mudanças climáticas, fazendo uso da energia solar e promovendo técnicas de gestão sustentável dos recursos naturais.

“Essa parceria vai reduzir a dependência do país da importação de alimentos, criar empregos e aumentar a renda das famílias rurais, especialmente de mulheres e de jovens”, disse o gerente do programa do FIDA no país, Philippe Rémy.