Paraguai, Bolívia e Brasil discutem projeto transfronteiriço para erradicação da febre aftosa

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

No Rio de Janeiro, representantes da indústria pecuária da Bolívia, Paraguai e Brasil se reuniram no início do mês (3) com o diretor e especialistas do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA). Encontro discutiu projeto transfronteiriço entre os três países para eliminar a doença. Iniciativa será financiada pelo Grupo Interamericano para a Erradicação da Febre Aftosa (GIEFA), que também participou dos diálogos na capital fluminense.

Foto: Roosewelt Pinheiro/Abr

No Rio de Janeiro, representantes da indústria pecuária da Bolívia, Paraguai e Brasil se reuniram no início do mês (3) com o diretor e especialistas do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA). Encontro discutiu projeto transfronteiriço entre os três países para eliminar a doença. Iniciativa será financiada pelo Grupo Interamericano para a Erradicação da Febre Aftosa (GIEFA), que também participou dos diálogos na capital fluminense.

O PANAFTOSA é vinculado à agência regional de saúde da ONU — a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). O Centro desempenha a função de secretaria do GIEFA, um grupo de trabalho que tem participação dos setores público e privado. A função do organismo é elaborar e supervisar iniciativas regionais para acabar com a febre aftosa na região das Américas.

O projeto transfronteiriço entre os três países sul-americanos será coordenado pelo PANAFTOSA. Participaram da reunião o diretor do Centro, Ottorino Cosivi, o presidente do GIEFA, Antonio Vasconsellos Portas, e integrantes da Federação de Fazendeiros de Beni e Pando (FEGABENI), da Bolívia, da Associação Coordenadora Nacional de Saúde Animal (ACONASA), do Paraguai, da Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA) do Brasil e do também brasileiro Conselho Nacional da Pecuária de Corte (CNPC).


Mais notícias de:

Comente

comentários