Palestinos estão sendo forçados a deixar Cisjordânia, alerta ONU

Escritório da ONU de Coordenação de Assuntos Humanitários lançou hoje relatório “Deslocamento e Insegurança na Área C da Cisjorânia”. Coordenador Especial da ONU para o Processo de Paz alertou ainda que dois palestinos foram mortos em operação militar israelense.

Jovens palestinas na CisjordâniaO Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) lançou nesta segunda-feira (01/08) o relatório “Deslocamento e Insegurança na Área C da Cisjorânia”. O documento aponta que medidas aplicadas por autoridades israelenses estão forçando palestinos a deixar a chamada Área C – que corresponde a 60% do território da Cisjordânia e é controlada por Israel.

Segundo o relatório, as regras de zoneamento tornam praticamente impossível para os palestinos obter licenças de construção. Outras imposições incluem a construção de barreiras, redução da renda, demolição de casas e difícil acesso a serviços como educação e abastecimento de água.

“Este padrão de deslocamento, juntamente com as atuais atividades de assentamento, minam as possibilidades das comunidades palestinas manterem sua presença na Área C, e geram preocupações sobre mudanças demográficas e na composição étnica da área”, disse o Coordenador Humanitário da ONU para o Território Palestino Ocupado, Ramesh Rajasingham.

O OCHA pediu ao governo israelense que acabe com os deslocamentos e desapropriações de palestinos no território ocupado – incluindo o fim imediato da demolição de propriedades palestinas – até que eles tenham um acesso justo e não discriminatório ao regime de planejamento e zoneamento.

Dois palestinos são mortos em operação militar israelense

Também nesta segunda-feira (01/08) o Coordenador Especial da ONU para o Processo de Paz no Oriente Médio, Robert Serry, pediu às autoridades israelenses que exerçam contensão máxima após dois palestinos terem sido mortos durante uma operação militar no campo de refugiados na Cisjordânia. Cinco soldados israelenses também ficaram feridos na operação.

Por meio de um comunicado, Serry alertou que o processo político para resolver o conflito entre israelenses e palestinos está em um impasse “profundo e persistente” e pediu que ambas as partes contribuam para uma solução de dois Estados.

Ele disse ainda que os esforços para encontrar um ponto comum para as negociações têm se mostrado extremamente difíceis, dadas as diferenças e a falta de confiança entre as partes.