Países em desenvolvimento ganham espaço no comércio eletrônico, diz novo relatório da ONU

Documento da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) analisa as tendências e questões de política internacional relacionados à tecnologia da informação e comunicação e as suas ligações com o comércio e o desenvolvimento.

De acordo com o Relatório de Informações Econômicas 2015 – Desbloquear o Potencial do e-commerce para Países em Desenvolvimento, publicado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) e divulgado nesta terça-feira (24), a possibilidade para os países em desenvolvimento se beneficiarem do comércio eletrônico (e-commerce) está em expansão.

Vários fatores colaboram com esta tendência: a melhoria da conectividade, novas aplicações do comércio eletrônico, plataformas e soluções de pagamento e o surgimento de empresas de comércio eletrônico locais, que estão adaptando seus serviços às demandas locais.

“À medida que a economia digital se expande e mais atividades de negócios são afetadas, torna-se mais importante para os governos considerarem políticas que podem ajudar a aproveitar o comércio eletrônico para o desenvolvimento sustentável”, disse o secretário-geral da UNCTAD, Mukhisa Kituyi.

A edição de 2015 do Relatório analisa as tendências e questões de política internacional relacionados à tecnologia da informação e comunicação e as suas ligações com o comércio e o desenvolvimento.

O documento também destaca que as crescentes preocupações sobre cibercrime afetam a disposição dos compradores e vendedores para fazer transações online, com uma pesquisa mostrando que a promulgação de leis para facilitar a segurança e a confiança nas transações online varia consideravelmente em todo o mundo, com lacunas significativas em muitos países em desenvolvimento.