Países elegem vice-ministro da Agricultura da China para chefia da FAO

O atual vice-ministro da China para Agricultura e Assuntos Rurais, Qu Dongyu, foi eleito no domingo (23) o novo diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). O dirigente assumirá o cargo em 1º de agosto, sucedendo o brasileiro e atual chefe da FAO, José Graziano da Silva. Qu Dongyu traz para a agência da ONU mais de 30 anos de experiência em ciência e governança agrícolas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O atual vice-ministro da China para Agricultura e Assuntos Rurais, Qu Dongyu, foi eleito no domingo (23) o novo diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). O dirigente assumirá o cargo em 1º de agosto, sucedendo o brasileiro e atual chefe da FAO, José Graziano da Silva.

Qu Dongyu traz para a agência da ONU mais de 30 anos de experiência em ciência e governança agrícolas. De 1986 a 2002, o especialista trabalhou como pesquisador e diretor-geral do Instituto de Vegetais e Flores, da Academia Chinesa de Ciências Agrícolas (CAAS). Posteriormente, assumiu a vice-presidência da Academia, onde atuou até 2008 nas áreas de cooperação internacional, qualidade e segurança da produção de alimentos, financiamento, auditoria e pesquisa estratégica.

Em 2008, Qu Dongyu ingressou na gestão da região autônoma de Ningxia Hui, onde introduziu políticas de desenvolvimento das especialidades industriais locais. O dirigente também implementou novas abordagens nas áreas de turismo rural e microfinanciamento para mulheres e jovens agricultores.

Desde 2015, o especialista atua como vice-ministro da pasta da Agricultura e Assuntos Rurais da China.

Ao longo de sua carreira, Qu Dongyu apoiou e liderou processos multilaterais, participando da organização de encontros do G20 e de fóruns como o grupo de países China-Europa Central e Leste Europeu. O dirigente também atuou no diálogo e na cooperação econômica, agrícola e tecnológica entre a China e os Estados Unidos, Rússia, União Europeia e países do Pacífico. Sua trajetória inclui ainda contribuições para o estabelecimento de projetos de cooperação Sul-Sul com agências internacionais, como a FAO e o Banco Mundial.

Qu Dongyu é bacharel em Ciências de Horticultura pela Universidade Agrícola de Hunan, na China, e possui doutorado em Agricultura e Ciências Ambientais pela Universidade Agrícola de Wageningen, da Holanda.

A eleição do novo chefe da FAO ocorreu durante o 41º período de sessões da Conferência da agência da ONU, que teve início no sábado (22) e se estende até 29 de junho. Qu Dongyu recebeu 108 votos — de um total de 191 —, alcançando, já no primeiro turno, a maioria necessária para ganhar o pleito. A Conferência da FAO é o organismo mais elevado de governança da instituição.

O chinês será o nono diretor-geral da FAO desde a fundação da Organização, em 16 de outubro de 1945. Confira a lista dos outros oito chefes da agência:

  • John Boyd Orr, Reino Unido, 1945-1948
  • Norris E. Dodd, Estados Unidos de América, 1948-1954
  • Philip Vincent Cardon, Estados Unidos de América, 1954-1956
  • Binay Ranjan Sen, India, 1956-1967
  • Addeke Hendrik Boerma, Países Bajos, 1968-1975
  • Edouard Saouma, Líbano, 1976-1993
  • Jacques Diouf, Senegal, 1994-2011
  • José Graziano da Silva, Brasil, 2011-2019