Países das Américas redobram esforços durante Semana de Ação Contra Mosquitos

No marco de celebração da Semana de Ação contra os Mosquitos 2017, apoiada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), os países das Américas estão redobrando os esforços para controlar os mosquitos e conscientizar as comunidades sobre as doenças que esses podem transmitir.

Foto: Ministério da Saúde

Foto: Ministério da Saúde

No marco de celebração da Semana de Ação contra os Mosquitos 2017, apoiada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), os países das Américas estão redobrando os esforços para controlar os mosquitos e conscientizar as comunidades sobre as doenças que eles podem transmitir.

O foco da semana é levar informação e promover a participação da comunidade na eliminação de locais onde o mosquito Aedes aegypti – que transmite dengue, chikungunya, zika e febre amarela – se reproduz. Cada país organiza suas próprias atividades em torno da semana, tanto a nível nacional quanto comunitário.

Um dos objetivos para a campanha de 2017 é conscientizar médicos e trabalhadores da saúde sobre seu papel na promoção da saúde por meio da informação. Segundo a OPAS, é importante que esses profissionais comuniquem aos seus pacientes quais medidas podem tomar para se protegerem da picada de mosquitos e como eliminar seus criadouros.

“Controlar os mosquitos é crucial, pois as doenças que eles transmitem podem ser mortais ou debilitantes e representam uma grande carga para os sistemas de saúde dos países”, reforçou Marcos Espinal, diretor do Departamento de Doenças Transmissíveis e Análise de Saúde da OPAS.

Marcos destaca também que os Estados-membros da Organização aprovaram uma nova estratégia integrada para o controle de arboviroses, incluindo zika, dengue, chikungunya e febre amarela.

A Semana de Ação contra os Mosquitos teve início em 2016, no contexto da emergência de saúde causada pelo surto do vírus zika, que se estendeu a 48 países e territórios das Américas. As campanhas tiveram foco na eliminação de mosquitos e nas medidas de proteção pessoal contra suas picadas, especialmente no caso de mulheres grávidas. Vinte e sete países celebraram a campanha nesse primeiro ano. Saiba mais sobre a iniciativa clicando aqui.