Países das Américas discutem como manter conquistas contra o sarampo e a rubéola

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Até amanhã (14), especialistas da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e seus Estados-membros estarão reunidos na Cidade do Panamá para discutir como manter as conquistas obtidas na luta contra o sarampo e a rubéola. A região das Américas foi a primeira do mundo a ser declarada livre do sarampo — em setembro de 2016 — e da rubéola e sua síndrome congênita — em abril de 2015.

Sarampo tornou-se a quinta doença evitável por vacinação eliminada nas Américas. Foto: EBC

Sarampo tornou-se a quinta doença evitável por vacinação eliminada nas Américas. Foto: EBC

Até amanhã (14), especialistas da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e seus Estados-membros estarão reunidos na Cidade do Panamá para discutir como manter as conquistas obtidas na luta contra o sarampo e a rubéola. A região das Américas foi a primeira do mundo a ser declarada livre do sarampo — em setembro de 2016 — e da rubéola e sua síndrome congênita — em abril de 2015.

O encontro no Panamá teve início na quarta-feira (12) e é uma das atividades periódicas do Grupo Técnico Assessor sobre Doenças Imunopreveníveis. Formada há 32 anos, entidade reúne representantes de mais de 30 países e da agência regional da ONU. O organismo tem como membros profissionais dos setores de vigilância epidemiológica e de laboratórios dos ministérios da Saúde, além de integrantes dos comitês assessores nacionais de imunização.

O sarampo foi a quinta doença prevenível por vacinação a ser eliminada nas Américas, após a erradicação da varíola — em 1971 —, a poliomielite — em 1994 — e a rubéola e sua síndrome congênita. Em 2017, nações celebram os 40 anos do Programa Ampliado de Imunizações, iniciativa da OPAS que tem sido a força motriz desses conquistas.

Poliomielite e HPV também na pauta do encontro

Além de debater como é possível garantir que o sarampo e a rubéola não retornem, pesquisadores e gestores discutirão a preparação dos países para a erradicação global da poliomielite. Outras pautas incluem as lacunas das coberturas de vacinação nas Américas e as prioridades da imunização contra o HPV na região.

O Grupo Assessor também deve abordar melhorias no acesso e fornecimento de vacinas e seringas por meio do Fundo Rotatório de Vacinas da OPAS. Participantes pensarão ainda em novas respostas à coqueluche em território americano. Agências e parceiros como o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Aliança GAVI também estarão presentes na reunião.

A entidade da OPAS e dos Estados-membros é o fórum que lidera a revisão e a promoção dos objetivos e estratégias para a imunização nas Américas. A entidade é responsável por avaliar os progressos dos programas nacionais de imunização, bem como por identificar as necessidades de pesquisa e supervisionar os resultados das investigações científicas em andamento.


Mais notícias de:

Comente

comentários