Países da América Latina e do Caribe discutem como alcançar um investimento público mais eficiente

Para a CEPAL, organizadora do seminário, a igualdade é a pedra fundamental da proposta, e deve ser promovida maximizando os benefícios sociais.

Um bom sistema nacional de investimento público deve ser eficiente em suas operações, eficaz na alocação de recursos e transparente em informar a sociedade sobre esses investimentos. Foto: Abr/Renato Araújo

Um bom sistema nacional de investimento público deve ser eficiente em suas operações, eficaz na alocação de recursos e transparente em informar a sociedade sobre esses investimentos. Foto: Abr/Renato Araújo

Representantes da América Latina e do Caribe analisaram como alcançar um investimento público mais eficiente e de maior qualidade, no V Seminário da Rede de Sistemas Nacionais de Investimento Público (SNIP) da América Latina e do Caribe. O evento ocorreu de 22 a 24 de abril, na sede da Comissão Econômica das Nações Unidas para a América Latina e Caribe (CEPAL), no Chile.

“As tarefas executadas pelos sistemas nacionais de investimento público se relacionam diretamente com o pensamento da CEPAL. Igualdade é a pedra fundamental da nossa proposta”, disse o vice-secretário executivo da CEPAL, Antonio Prado. O brasileiro destacou a importância de aumentar “o tamanho e, especialmente, a qualidade do investimento público, de modo que a igualdade seja promovida maximizando os benefícios sociais dos montantes investidos, dado o seu efeito redistributivo”.

Eddy Linares, representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), concordou que um bom sistema nacional de investimento público deve ser eficiente em suas operações, eficaz na alocação de recursos e transparente em informar a sociedade sobre esses investimentos, mas advertiu que essas características não são cumpridas de forma transversal em todos os países. Ele também notou que o princípio de que “fazer mais com menos” é crucial, em decorrência do abrandamento do crescimento econômico na região.