Painel independente avaliará preparação e resposta à pandemia no mundo

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, anunciou nesta quinta-feira (9) o lançamento de um painel independente que avaliará a preparação e resposta à pandemia de COVID-19 no mundo.

Em declarações aos Estados-membros da OMS, Tedros afirmou que o painel será copresidido pela ex-primeira ministra da Nova Zelândia Helen Clark e pela ex-presidente da Libéria Ellen Johnson Sirleaf.

Clark liderou o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e Sirleaf recebeu o Prêmio Nobel da Paz. Operando de forma independente, elas escolherão outros membros do painel, bem como membros de uma secretaria independente para fornecer apoio.

Diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus. Foto: Picture-aliance / Keystone / S. Di Nolfi

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, anunciou nesta quinta-feira (9) o lançamento de um painel independente que avaliará a preparação e a resposta à pandemia de COVID-19 no mundo.

Em declarações aos Estados-membros da OMS, Tedros afirmou que o painel será copresidido pela ex-primeira ministra da Nova Zelândia Helen Clark e pela ex-presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf.

Clark liderou o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e Sirleaf recebeu o Prêmio Nobel da Paz. Operando de forma independente, elas escolherão outros membros do painel, bem como membros de uma secretaria independente para fornecer apoio.

“A primeira-ministra Clark e a presidente Sirleaf foram selecionadas por meio de um processo de ampla consulta com Estados-membros e especialistas mundiais. Não consigo enxergar outros líderes com mentes fortes e independentes para ajudar a nos guiar nesse processo crítico de aprendizado”, disse o diretor da OMS em seu discurso.

Na 73ª Assembleia Mundial da Saúde, que ocorreu em maio deste ano, os Estados-membros adotaram uma resolução histórica que pedia à OMS que iniciasse uma avaliação independente e abrangente das lições aprendidas com a resposta internacional à COVID-19.

“Este é um momento de autorreflexão, de olhar para o mundo em que vivemos e encontrar maneiras de fortalecer nossa colaboração enquanto trabalhamos juntos para salvar vidas e controlar essa pandemia”, enfatizou Tedros. “A magnitude dessa pandemia, que afetou praticamente todo o mundo, merece claramente uma avaliação proporcional”.

Tedros propôs que uma Sessão Especial do Conselho Executivo fosse convocada em setembro para discutir o progresso do painel. Em novembro, este painel apresentará um relatório intermediário na retomada da Assembleia Mundial da Saúde.

Em janeiro de 2021, o Conselho Executivo realizará sua temporada ordinária de sessões, onde o trabalho do painel será discutido mais detalhadamente; e em maio do próximo ano, na Assembleia Mundial da Saúde, o painel apresentará seu relatório permanente. O diretor-geral observou que o Comitê Consultivo e de Supervisão Independente para o Programa de Emergências em Saúde da OMS também continuará seu trabalho existente.

“Enquanto lutamos contra essa pandemia, precisamos nos preparar para futuros surtos globais e muitos outros desafios de nosso tempo, como a resistência antimicrobiana, a desigualdade e a crise climática”, afirmou o diretor-geral da OMS. “A COVID-19 nos tirou muitas coisas. Mas também está nos dando a oportunidade de romper com o passado e reconstruir tudo melhor”.