Pacto Global da ONU promove em SP festival de cinema sobre população trans

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O Brasil lidera o ranking de países com mais registros de homicídios de pessoas trans — foram 938 de 2008 a 2016. Para debater os desafios dessa população, a Rede Brasil do Pacto Global da ONU e a Assessoria Especial para Assuntos Internacionais (AEAI) do governo de São Paulo promovem neste mês e em julho o festival de cinema TRANSdocumenta.

Bandeira do orgulho trans hasteada em São Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Flickr (CC)/torbakhopper

Bandeira do orgulho trans hasteada em São Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Flickr (CC)/torbakhopper

O Brasil lidera o ranking de países com mais registros de homicídios de pessoas trans. Os assassinatos e suicídios (notificados) de pessoas LGBTI+s no país cresceram 30% entre 2016 e 2017, liderado pelo estado de São Paulo com 59 mortes.  Mais de 190 travestis e transexuais foram mortas no último ano e a expectativa de vida de uma pessoa trans é de apenas 35 anos.

Para debater os desafios da população LGBTQ, a Assessoria Especial para Assuntos Internacionais (AEAI) do governo do estado de São Paulo e a Rede Brasil do Pacto Global (ONU) apresentam a mostra TRANSdocumenta.

Até 9 de julho, a mostra vai exibir uma série de documentários, longas e curta-metragens, nacionais e estrangeiros, sobre os desafios da população LGBTQ, com foco nas questões da transexualidade. As exibições serão feitas em museus, penitenciárias e fábricas de cultura de São Paulo.

Além da exibição dos filmes, a mostra vai reunir atividades culturais, rodas de conversa, lançamento de projeto e feira de empreendedores LGBTQ.

A abertura da TRANSdocumenta aconteceu no Red Bull Station, em 28 de junho, ocasião do dia internacional do orgulho LGBTI+. No início do evento, ocorreu um discurso de Ana Paula Fava (assessora especial para assuntos internacionais do Governo do Estado de São Paulo), de Carlo Pereira (secretário-executivo da Rede Brasil do Pacto Global) e de Priscilla Bertucci (Fundador do SSEX BBOX).

Na abertura, foi lançado o projeto “Memórias da Diversidade”, de Franco Reinaudo, diretor do Museu da Diversidade Sexual, e do cineasta Lufe Stefan, com depoimentos de pessoas LGBTs com mais de 65 anos. O lançamento foi seguido de um painel sobre empregabilidade trans, liderado por Paola Valentina, produtora cultura do Museu da Diversidade Sexual, e Angela Pires do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH).

Posteriormente, foi exibido o primeiro curta da mostra, “Estamos todos aqui”, produzido por Chico Santos e Rafael Mellim. Chico e Rafael estiveram presentes na abertura para um bate-papo sobre a produção do filme. Um coquetel, com “catering” formado por pessoas trans, foi servido na sequência da conversa.

“Queremos fazer uma ação de sensibilização onde as pessoas trans estejam envolvidas não só em teoria, mas participem de forma atuante, também como parte dos serviços contratados para os eventos”, afirmou Andrey Brito, coordenador de cooperação internacional do estado de São Paulo. “E que essas atividades possam gerar futuras parcerias entre as instituições e empresas”, completou.

Para o secretário-executivo do Pacto Global, Carlo Pereira, o debate desta temática perpassa os princípios do Pacto Global e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

“A TRANSdocumenta traz à luz uma questão que precisa ser insistentemente discutida, não só no âmbito social, mas sob o ponto de vista econômico e de garantia de direitos como saúde, trabalho, educação, reconhecidos pela Declaração Universal e presentes nos ODS”, disse. Os ODS são um conjunto de metas globais adotado pela ONU em setembro de 2015 com prazo para implementação até 2030.

O TRANSdocumenta também será exibido nos presídios de Assis, Guareí, Guarulhos, Itaí e São José dos Campos do governo do estado de São Paulo. A expectativa é que cerca de 420 detentos assistam à programação.

As Fábricas de Cultura, espaços culturais para crianças e adolescentes do governo do estado de São Paulo, também fizeram uma programação para exibição da TRANSdocumenta.

Os filmes “Quarto Camarim”, “Meu Nome é Jacque”, “Estamos todos Aqui”, “Meu Corpo é Político” e “My Praire Home” estão previstos para serem exibidos nas Fábricas de Cultura do Curuçá, Sapopemba, Itaim Paulista, Belém e Tiradentes, respectivamente. Com exceção de “Meu Nome é Jacque”, que será exibido em 4 de julho, o restante da programação será apresentada no dia 6 de julho, todos a partir das 14h.

A mostra é a terceira iniciativa da agenda de direitos humanos “O Mundo que Queremos”, uma iniciativa da AEAI e Rede Brasil do Pacto Global com apoio da Secretaria da Cultura.

O Mundo Que Queremos

A Assessoria Especial para Assuntos Internacionais do Governo do Estado de São Paulo e a Rede Brasil do Pacto Global promovem ao longo deste ano a agenda “O Mundo Que Queremos”, que comemora os 70 anos da Declaração Universal do Direitos Humanos, assinada pelos países em 10 de dezembro de 1948.

O #SmashTheGlass, que tratou a igualdade de gênero e violência contra a mulher na Pinacoteca, e o “Abolição – 130 anos depois”, realizado no Museu Afro Brasil, com foco na população negra e igualdade racial, foram as primeiras ações da agenda. A Pinacoteca e o Museu Afro Brasil são equipamentos da Secretaria da Cultura do governo paulista.

Programação da mostra TRANSdocumenta

05/07 (quinta-feira)
Local: Casa das Rosas
20h00 Exibição ao ar livre do documentário My prairie home (Meu Lar nas Pradarias)

09/07 (segunda-feira)
Local: MIS – Museu da Imagem e do Som
Exposição do projeto Geni – Um ensaio fotográfico com corpos transitados

Foyer
13h Contação de histórias
14h-16h Oficina para crianças com Jogo da inclusão

Auditório MIS
14h Exibição de Transit Havana
16h Exibição de A Ivana Wonder Tribute: Life On Mars e painel “Coletividades LGBTQIA e Diversidade na Cena Cultural de São Paulo”
18h30 Exibição de estamos todos aqui
19h-20h Pocket Show

Lab MIS
15h Exibição de [SSEX BBOX] com Barbara Hammer – Cinema Queer
16h Exibição de Auf Der Anderen Seite (Do Outro Lado)
18h30 Exibição de A Ivana Wonder Tribute: Life On Mars E Bicha Preta

Área Externa
11h-19h Feira de expositores LGBTQ+ com participação de coletivos LGBTQ+ de São Paulo

*Programação sujeita a alteração


Mais notícias de:

Comente

comentários