Pacto Global da ONU lança relatório de iniciativas das redes locais

O Pacto Global da ONU divulgou nesta semana (18) um documento que compila as ações desenvolvidas pelas redes locais em todo o mundo para a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) pelo setor privado.

A Rede Brasil foi destaque em sessões sobre estratégias ODS, programas anticorrupção e erradicação do trabalho forçado.

Sede das Nações Unidas em Nova Iorque. Foto: ONU/Manuel Elias

Sede das Nações Unidas em Nova Iorque. Foto: ONU/Manuel Elias

O Pacto Global da ONU divulgou nesta semana (18) um documento que compila as ações desenvolvidas pelas redes locais em todo o mundo para a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A Rede Brasil foi destaque em sessões sobre estratégias ODS, programas anticorrupção e erradicação do trabalho forçado. A publicação “Acelerando a implementação nacional dos ODS – edição 2018“, já disponível digitalmente em inglês, foi lançada durante as atividades do SDG Business Forum, que ocorreu em paralelo ao Fórum Político de Alto Nível da ONU finalizado nesta quarta-feira (18) em Nova Iorque.

Desde setembro de 2015, a Rede Brasil criou um grupo de trabalho focado na estratégias ODS e adotou uma metodologia própria para implementar o SDG Compass, um guia de implementação dos ODS para empresas. Assim, a iniciativa local ajuda empresas a captar oportunidades de negócios ligados aos objetivos globais.

Essa foi uma das ações apontadas pela publicação, que ressaltou as 20 atividades de capacitação e 400 empresas engajadas em um período de um ano. O Pacto Global da ONU também deu destaque à publicação “Integração dos ODS na Estratégia Empresarial“, com contribuições do Comitê Brasileiro do Pacto Global (CBPG) para a Agenda 2030.

Quando reportadas as ações coletivas contra a corrupção e de combate ao trabalho forçado e infantil, a Rede Brasil também foi mencionada. Diante de denúncias de corrupção na construção civil, a iniciativa brasileira identificou uma oportunidade de engajar as quatro maiores companhias do setor em um diálogo para identificar e disseminar boas práticas. O processo resultou na cartilha “Integridade no Setor de Construção – Discutindo Dilemas e Propondo Soluções no Mercado“.

Nas atividades da América Latina para a erradicação do trabalho forçado e infantil, o Brasil foi mencionado como um país cuja rede local coordenou atividades junto à Organização Internacional do Trabalho (OIT) para conscientizar o empresariado sobre esse crime em suas cadeias de fornecedores e parceiros comerciais.