Os países da América Latina estão em uma encruzilhada, diz secretária executiva da CEPAL em Davos

“Nesse cenário, é essencial voltar a investir na região e que se façam mudanças estruturais para fortalecer os ganhos sociais realizados nos últimos anos e melhorar a integração das nossas economias nas cadeias de valor regional e global”, afirmou Alicia Bárcena.

Após anos de prosperidade, os países da América Latina e Caribe estão agora em uma encruzilhada. A economia cresceu, em média, apenas 1,1% em 2014 e tem uma estimativa de recuperação de 2,2% para 2015. Soma-se a isto a estagnação das exportações regionais, disse a secretária executiva da Comissão Econômica da América Latina e Caribe da ONU (CEPAL), Alicia Bárcena.

“Nesse cenário, é essencial voltar a investir na região e que se façam mudanças estruturais para fortalecer os ganhos sociais realizados nos últimos anos e melhorar a integração das nossas economias nas cadeias de valor regional e global”, disse, durante um encontro em Davos (Suíça), nesta sexta-feira (23), sobre situação atual da América Latina.

Bárcena participou também de outros encontros na Suíça, onde lembrou a importância e as oportunidades históricas associadas com a adoção da agenda de desenvolvimento pós-2015 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS), com a Cúpula Mundial sobre Financiamento do Desenvolvimento e o objetivo de alcançar um acordo sobre o clima durante a Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP), em Paris. Ela reiterou que a CEPAL apoia a construção de pontos de vista regionais sobre estes três processos.

“Estes desafios exigem um compromisso renovado e parcerias entre as partes interessadas no governo, setor privado e sociedade civil”, disse Bárcena.