Organismos da ONU promovem curso sobre controle da leishmaniose em países latino-americanos

No Panamá, o Programa Regional de Leishmaniose, da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), promoveu neste mês um treinamento inédito sobre o uso de informações geográficas no controle da doença. Iniciativa reuniu profissionais do país e também da Colômbia, México, Paraguai, Peru, Nicarágua, Guatemala e Brasil.

Médicos realizam ação de prevenção da Leishmaniose na Guiana. Foto: OPAS

Médicos realizam ação de prevenção da Leishmaniose na Guiana. Foto: OPAS

No Panamá, o Programa Regional de Leishmaniose, da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), promoveu neste mês um treinamento inédito sobre o uso de informações geográficas no controle da doença. Iniciativa reuniu profissionais do país e também da Colômbia, México, Paraguai, Peru, Nicarágua, Guatemala e Brasil.

Realizada do dia 10 a 14 de setembro, a formação teve por objetivo melhorar a capacidade que os serviços oficiais de saúde têm de analisar dados, incluindo estatísticas locais e regionais. O curso foi promovido em parceria com o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA).

Segundo as duas instituições responsáveis pela capacitação, a proposta era aperfeiçoar a utilização de sistemas de informação em estratégias de vigilância epidemiológica. Com isso, a OPAS espera que governos aprimorem seus processos de análise de risco e tomada de decisão para prevenir e combater a leishmaniose.