Organismos da ONU discutem no Peru plano de combate à resistência antimicrobiana

A resistência antimicrobiana é uma das principais ameaças à saúde pública em todo o mundo. É um fenômeno agravado pelo uso indevido de antibióticos, em humanos e animais, e pelos escassos e mal implementados programas de controle de infecções. Também ocorre por conta da capacidade limitada dos laboratórios, da inadequada vigilância e da fraca aplicação da regulamentação para garantir acesso a antibióticos de alta qualidade e seu uso apropriado.

Em maio de 2019, uma comissão multissetorial permanente foi criada no Peru, sob a responsabilidade do Ministério da Saúde peruano, com o objetivo de monitorar a implementação do Plano Multissetorial de Combate à Resistência Antimicrobiana 2019 – 2021 nas Américas.

No contexto desta comissão, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) tem trabalhado com cinco diretorias de Ministério da Saúde, Ministério do Trabalho e Promoção do Emprego, Ministério da Defesa, Ministério do Interior, Ministério do Meio Ambiente, Ministério de Produção, Ministério de Agricultura e Irrigação e Ministério das Relações Exteriores do Peru para alcançar os objetivos do plano multissetorial.

Em 28 de agosto, foi realizada a quarta reunião sobre o tema, da qual participaram Rubén Mayorga-Sagastume, representante Interino da OPAS/OMS no Peru; Marcos Espinal, diretor de Doenças Transmissíveis e Determinantes Ambientais da Saúde da OPAS/OMS; e Guillermo Frías, presidente da Comissão Multissetorial de Resistência Antimicrobiana e representante do Ministério da Saúde do Peru. O objetivo foi estabelecer progresso no desenvolvimento das atividades do plano.

Mayorga-Sagastume cumprimentou o trabalho que a comissão vem realizando para a execução do plano multissetorial e expressou satisfação com o apoio técnico fornecido pela OPAS/OMS do Peru para sua formulação e implementação.

Entre outras ações, ele destacou o apoio ao diagnóstico situacional das capacidades de monitoramento de resistência, nas unidades de saúde nível III de Lima e em cinco regiões do país, bem como a colaboração com o desenho do sistema de vigilância integrado e do padrão técnico. Além disso, enfatizou a importância do envolvimento dos setores de animais e produtivo para alcançar os objetivos estabelecidos.

Espinal destacou a centralidade da luta contra a resistência antimicrobiana em todo o mundo e na OPAS/OMS, onde o acordo tripartite entre Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) na coleta de informações anuais sobre o progresso dos países na implementação dos Planos Multissetoriais Nacionais de resistência antimicrobiana. Nesse sentido, cumprimentou o longo histórico do Peru como país que monitora a resistência antimicrobiana.

As apresentações foram feitas por Baldomero Molina, da PANAFTOSA-OPAS/OMS; Martin Minassian, da representação regional da OIE Américas; bem como pelo Serviço Nacional de Segurança Agrícola (SENASA).