OPAS/OMS: Médicos cubanos do ‘Mais Médicos’ ajudam vítimas das chuvas e inundações no Acre

“O Mais Médicos é um programa muito importante para a população e é nestes momentos que se vê com mais clareza esse diferencial”, afirmou a enfermeira Sulamita Guedes.

A médica cubana Belkis Caridad Baca Hernandez em serviço durante as inundações no Acre. Foto: OPAS/OMS

A médica cubana Belkis Caridad Baca Hernandez em serviço durante as inundações no Acre. Foto: OPAS/OMS

No mês passado, o prefeito de Rio Branco, no Acre, decretou estado de calamidade pública na cidade em função dos alagamentos que cobriram o município, naquela que foi considerada pelo governo local como a maior cheia da história do estado. Mais de 85 mil pessoas foram atingidas pelos 20 bilhões de metros cúbicos de chuva que caíram na bacia do rio Acre em menos de dois meses.

Diante deste cenário calamitoso, os médicos cubanos do Programa Mais Médicos se somaram à rede de atendimento de emergência, tanto nos refúgios habilitados como nas unidades básicas de saúde que tiveram condições de seguir em funcionamento. Foram abertos cinco abrigos para as vítimas das chuvas, que receberam entre 5 e 6 mil pessoas, totalizando aproximadamente 1.300 famílias. 

Nos refúgios trabalharam os médicos cubanos dos municípios mais afetados: Assis Brasil (3 médicos), Brasileia (8 médicos), Xapuri (3 médicos), Rio Branco (15 médicos) e Epitaciolândia, onde estão três médicos cubanos.

No auge das chuvas, a médica cubana Belkis Caridad Baca Hernandez manteve o atendimento no posto de saúde do bairro Taquari até as 19h, e só parou porque não havia mais energia elétrica – o fornecimento foi interrompido pela Eletrobrás no bairro inteiro como medida de segurança.

“Não saio do Taquari”, disse a médica. “Estas pessoas são meus amigos, são como minha família”.

A população do Acre recebeu, desde o início do Programa Mais Médicos, 125 médicos cubanos que estão distribuídos por todo o estado.

Apesar de improvisada, a farmácia montada pela Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) na Escola Dejanira Bezerra contempla a boa parte da medicação básica, com cerca de 100 itens. “O Mais Médicos é um programa muito importante para a população e é nestes momentos que se vê com mais clareza esse diferencial”, afirmou a enfermeira Sulamita Guedes.