OPAS Venezuela e PANAFTOSA apoiam Aruba, Curaçao e os territórios do Reino da Holanda no fortalecimento de sistemas de inocuidade de alimentos

Os participantes trabalharam em formular duas ações prioritárias, a inspeção baseada em risco e o sistema de vigilância e resposta às enfermidades de transmissão alimentar.

A OPAS/OMS por meio da Representação na Venezuela e a PANAFTOSA apoiam Aruba, Curaçao e os territórios do Reino da Holanda (São Martinho, Bonaire, Santo Eustáquio) no fortalecimento de seus sistemas de inocuidade de alimentos.

Aberto pelo ministro da Saúde de Aruba, Alex Schwengle, e com uma duração de três dias, de 4 a 6 de novembro de 2014, se realizou sob a coordenação do Programa Regional de Inocuidade de Alimentos uma oficina com o objetivo de apoiar aos territórios de Reino da Holanda, Aruba e Curaçao para identificar as debilidades em seu sistema de inocuidade alimentária, assim como a priorizar as atividades de desenvolvimento de capacidades, desenvolvendo planos de trabalho apropriados e realistas.

Os participantes trabalharam em formular duas ações prioritárias, a inspeção baseada em risco e o sistema de vigilância e resposta às enfermidades de transmissão alimentar.

Foi trabalhada uma ferramenta desenvolvida pela OMS conhecida como “Food Safety Needs Assessment Tool”. É a primeira vez que esta ferramenta se aplica nas Américas. Foi desenvolvida para ser utilizada em uma oficina que reúne os responsáveis pela inocuidade dos alimentos e as partes interessadas dos países com o pessoal e os facilitadores da OPAS/OMS. Os responsáveis para trabalhar na oficina estão envolvidos com a legislação, a avaliação de riscos, a gestão de riscos, a vigilância de enfermidades humanas, clínica e laboratórios de análises de alimentos.

Saiba mais em http://bit.ly/15HPepd


Comente

comentários