OPAS ressalta avanços em 30 anos do SUS, mas destaca desafios no acesso

A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO) lançou na sexta-feira (2), na sede da representação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil, na capital federal, o documento “Pela garantia do direito universal à saúde no Brasil – Contribuição da ABRASCO para o fortalecimento da 16ª Conferência Nacional de Saúde”.

O evento foi apoiado pela OPAS, que tem um longo histórico de parceria com a ABRASCO. “Principalmente, para o desenvolvimento de estudos e pesquisas e a produção de conhecimentos para o desenvolvimento do SUS (Sistema Único de Saúde) e defesa do direito à saúde. Nos últimos anos, destacamos, dentre as diversas ações de cooperação cujos resultados se mostram relevantes, o trabalho conjunto desenvolvendo a cooperação técnica descentralizada a nível dos estados”, afirmou a representante da OPAS e da OMS no Brasil, Socorro Gross.

Ela ressaltou ainda que são muitos os avanços e conquistas do SUS nestes 30 anos de sua criação. “Contudo, persistem importantes desafios nos campos do acesso, da qualidade e da equidade. A OPAS sempre será parceira na busca de soluções efetivas, duradouras e baseadas em evidências, que garantam saúde para todas e todos, em todas as partes deste país, sem deixar ninguém para trás”.

Foto: EBC

Foto: EBC

A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO) lançou na sexta-feira (2), na sede da representação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil, na capital federal, o documento “Pela garantia do direito universal à saúde no Brasil – Contribuição da ABRASCO para o fortalecimento da 16ª Conferência Nacional de Saúde”.

“Temos a expectativa de que a Conferência Nacional de Saúde traga muita força, muita esperança para continuarmos a defender o direito universal à saúde. É fundamental o engajamento de todos nesse processo”, disse Gulnar Azevedo, presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva.

O evento foi apoiado pela OPAS, que tem um longo histórico de parceria com a ABRASCO. “Principalmente, para o desenvolvimento de estudos e pesquisas e a produção de conhecimentos para o desenvolvimento do SUS (Sistema Único de Saúde) e defesa do direito à saúde. Nos últimos anos, destacamos, dentre as diversas ações de cooperação cujos resultados se mostram relevantes, o trabalho conjunto desenvolvendo a cooperação técnica descentralizada a nível dos estados”, afirmou a representante da OPAS e da OMS no Brasil, Socorro Gross.

Ela ressaltou ainda que são muitos os avanços e conquistas do SUS nestes 30 anos de sua criação. “Contudo, persistem importantes desafios nos campos do acesso, da qualidade e da equidade. A OPAS sempre será parceira na busca de soluções efetivas, duradouras e baseadas em evidências, que garantam saúde para todas e todos, em todas as partes deste país, sem deixar ninguém para trás”.

O evento também contou com a presença de Fernando Pigatto, presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS); Renato Tasca, coordenador de Sistemas e Serviços de Saúde da Representação da OPAS e da OMS no Brasil; membros da Diretoria da ABRASCO; e os ex-presidentes da associação José Carvalheiro, Luiz Augusto Facchini e Luis Eugenio Portela.

Conferência Nacional de Saúde

A OPAS é uma das participantes da comissão organizadora da 16ª Conferência Nacional de Saúde, que começa neste domingo (4), em Brasília. O evento ocorre até 7 de agosto.

A Conferência Nacional de Saúde é o mais importante momento de participação social sobre esse assunto no Brasil. Nesta edição, os eixos temáticos são: saúde como direito; consolidação dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e financiamento do SUS.

O CNS, organizador da 16ª Conferência, é um órgão vinculado ao Ministério da Saúde do Brasil composto por membros de entidades e movimentos representativos de usuários e trabalhadores da área da saúde, governo e prestadores de serviços de saúde.