OPAS: Evento em Brasília discute aliança inovadora entre Brasil e Cuba para saúde do Haiti

Este modelo pioneiro da cooperação Sul-Sul permitiu a construção de três novos hospitais e um centro de reabilitação com novas tecnologias e normas internacionais, além do treinamento de recursos humanos para a saúde no Haiti.

Um dos hospitais comunitários construídos no Haiti graças à ajuda tripartite. Foto: Ministério da Saúde

Um dos hospitais comunitários construídos no Haiti graças à ajuda tripartite. Foto: Ministério da Saúde

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), por meio das representações do Brasil e Haiti, participou do Seminário Internacional “Saúde no Haiti e os Desafios da Cooperação Sul-Sul – Lições aprendidas do Projeto Brasil-Cuba-Haiti”, realizado em Brasília nos dias 27 e 28 de novembro. Autoridades nacionais dos três países e parceiros participaram ao evento, assim como especialistas de diferentes setores. O seminário teve como objetivo apresentar os resultados, as lições aprendidas a partir deste projeto inovador e as perspectivas para a próxima fase.

Esta cooperação Tripartite entre Haiti, Brasil e Cuba foi lançada após o terremoto no Haiti em janeiro de 2010 com o objetivo de apoiar e fortalecer o Sistema Haitiano de Saúde. Este modelo inovador da cooperação Sul-Sul permitiu a construção de três novos hospitais comunitários e um centro de reabilitação com novas tecnologias e normas internacionais. Esta cooperação também facilitou o apoio ao treinamento de recursos humanos para a saúde – uma força tarefa para reforçar a vigilância de doenças imuno-preveníveis, entre outros.

Entre as principais lições aprendidas se encontram a cooperação entre as representações brasileiras e haitianas da OPAS/OMS, a implementação de mecanismos de coordenação e oportunidades de possível mobilização de recursos entre países.

“Como país beneficiário, é com grande satisfação que compartilhamos com vocês este modelo inovador de cooperação Sul-Sul, destacando suas principais características e lições aprendidas. O indício deste avanço é natureza e a qualidade da parceria estabelecida entre os três países”, disse o embaixador do Haiti no Brasil, Madsen Cherubin.

A contribuição da OPAS/OMS à Tripartite acontece por meio de apoio técnico e coordenação e, mais especificamente, no apoio ao treinamento dos recursos humanos para a saúde e na implementação de força tarefa para reforçar a vigilância das doenças preveníveis por vacinas.