OPAS e Ministério da Saúde lançam mês de vacinação dos povos indígenas

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e o Ministério da Saúde do Brasil lançaram no sábado (6) o Mês de Vacinação dos Povos Indígenas. O objetivo é aumentar os índices de imunização nessa população, melhorando a proteção contra diversas doenças que podem ser prevenidas por vacinas, como a gripe, o sarampo e a rubéola, entre outras. A meta é beneficiar mais de 100 mil índios aldeados em todo país.

Solenidade de Abertura do Mês de Vacinação dos Povos Indígenas. Foto: Sesai/Alejandro Zambrana

Solenidade de Abertura do Mês de Vacinação dos Povos Indígenas. Foto: Sesai/Alejandro Zambrana

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e o Ministério da Saúde do Brasil lançaram no sábado (6) o Mês de Vacinação dos Povos Indígenas. O objetivo é aumentar os índices de imunização nessa população, melhorando a proteção contra diversas doenças que podem ser prevenidas por vacinas, como a gripe, o sarampo e a rubéola, entre outras. A meta é beneficiar mais de 100 mil índios aldeados em todo país.

O lançamento ocorreu na Aldeia Linha 9 Amaral, que pertence a índios da etnia Surui e fica localizada no município de Cacoal, em Rondônia (RO).

A solenidade teve a participação de Bernardino Vitoy, oficial nacional de Família, Gênero e Curso de Vida da OPAS; do secretário Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde, Marco Antônio Toccolini; do vice-prefeito de Cacoal, Elcirone Deiró; da coordenadora do Distrito Sanitário Indígena (DSEI) de Vilhena (RO), Solange Pereira Vieira Tavares, responsável pelas ações de saúde em áreas de Rondônia e Mato Grosso; e dos pajés e líderes da Aldeia Linha 9 Amaral, Tiago Surui e Rafael Surui; além de outras lideranças dos povos indígenas da região, representantes da área da Saúde e autoridades locais.

Durante a cerimônia, Vitoy destacou o trabalho desenvolvido pela equipe que atua em Cacoal e agradeceu ao Ministério da Saúde e a todos os envolvidos na promoção e implementação das estratégias de imunização. “O empenho de cada profissional de saúde de Cacoal e de todo o DSEI Vilhena se somam aos esforços de mobilização realizados em toda a região das Américas para promover a vacinação no continente”, afirmou.

As atividades do mês de vacinação dos índios tiveram início no dia 22 de abril e se estenderão até 21 de maio em todos os 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) existentes no Brasil.

Essa ação faz parte da Semana de Vacinação nas Américas, a maior iniciativa de imunização do continente americano, liderada pela OPAS. Neste ano, a estratégia completa 15 anos. O slogan para a campanha de 2017 é “Vacine-se para celebrar um amanhã saudável”, incentivando as pessoas e suas famílias a se vacinarem hoje e desfrutarem de uma boa saúde amanhã.

Inspirado no modelo do continente americano, a Assembleia Mundial da Saúde estabelecerá neste ano a Semana Mundial de Imunização e mobilizará 180 países para realizar ações de vacinação.

O lançamento ocorreu na Aldeia Linha 9 Amaral, que pertence a índios da etnia Surui e fica localizada no município de Cacoal, em Rondônia (RO). Foto: Sesai/Alejandro Zambrana

O lançamento ocorreu na Aldeia Linha 9 Amaral, que pertence a índios da etnia Surui e fica localizada no município de Cacoal, em Rondônia (RO). Foto: Sesai/Alejandro Zambrana

Ainda durante a solenidade, a OPAS lançou o livro “Subsistema de Saúde Indígena e Programa Mais Médicos: uma experiência de sucesso”. A publicação reúne fotografias, tiradas nos 34 DSEIs do país, que buscam retratar o encontro e a relação sociocultural entre os profissionais do Mais Médicos e as comunidades indígenas.

Durante o evento, também foi exibido o vídeo “O Caminho das Vacinas no Brasil – vacinação dos povos indígenas”. Vitoy explicou que o vídeo é o registro do trabalho realizado em parceria pelo Ministério da Saúde, estados e municípios, com a colaboração da OPAS, e revela as dificuldades impostas pelas dimensões continentais do país, além de mostrar o esforço das equipes para cumprir a tarefa em áreas de difícil acesso.

O secretário da Sesai, Marco Antônio Toccolini, agradeceu a parceria do organismo internacional nas ações junto aos povos indígenas, acrescentando que estas são fundamentais para ampliação de coberturas vacinais.

“É muito importante que a Sesai esteja ligada a parcerias com organizações como a OPAS, e também com estados e municípios, para que a gente possa intensificar ações de vacinação em áreas indígenas. Iniciativas como essa são fundamentais para que a gente possa realmente aumentar o ‘braço’ da Sesai para alcançar povos mais longínquos. Realmente, é muito importante fomentar esse tipo de acordo e de iniciativa junto às organizações sociais e internacionais”, disse Toccolini.

Para o pajé Tiago Surui, trata-se de uma campanha de grande relevância porque, tendo vacinas à disposição, “os povos indígenas estão sendo beneficiados através dessa política pública e de um trabalho de parceria da OPAS com o governo brasileiro”. “A vacina vem para prevenir as populações indígenas de um risco de saúde que pode vir futuramente. É um benefício a mais”, disse.

De acordo com o pajé, existem 1,5 mil índios da etnia Surui no Brasil, distribuídos em 26 aldeias, com maior concentração em Rondônia e Mato Grosso, área de abrangência do DSEI Vilhena. Em Cacoal, somente na Aldeia Linha 9 Amaral, moram 200 Suruis. O município conta, ainda, com populações das etnias Cinta Larga e Rikbaktsa.

Para Solange Pereira Vieira Tavares, coordenadora do DSEI Vilhena, o local foi escolhido para o lançamento da estratégia por seus bons indicadores de saúde indígena e ressaltou que é essencial esse tipo de mobilização porque contribui para a concentração de esforços na área de imunizações. Já o presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena (Condisi), Nelson Mutiziê, afirmou que ações como essa fortalecem estratégias locais desenvolvidas pelas três esferas de governo para melhorar a qualidade da atenção e assistência prestadas aos povos indígenas.

Também fez parte da solenidade de lançamento do Mês de Vacinação dos Povos Indígenas a imunização dos índios da aldeia contra o vírus influenza (gripe).

Antecedendo as atividades deste sábado (6), houve uma visita da equipe da OPAS e do Ministério da Saúde à Casa de Saúde Indígena (Casai) e às instalações do polo de atendimento aos índios em Cacoal. Logo após conhecer essas unidades, a comitiva seguiu para outra localidade, a sede do DSEI local, também instalado em Cacoal.


Mais notícias de:

Comente

comentários