OPAS assina parceria para fortalecer sistema brasileiro de transplantes

Firmado na última quinta-feira (12), acordo entre a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Associação Brasileira de Medicina de Emergências (ABRAMEDE) visa trabalhar em melhorias para o Sistema Nacional de Transplantes (SNT) brasileiro, considerado o maior do mundo.

Esforços incluem a criação de uma base de dados dos médicos ativos nas emergências brasileiras, através do mapeamento nos Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (SAMUs), nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e nos serviços hospitalares de emergência.

Iniciativa do projeto é do Ministério da Saúde, e também prevê capacitações no processo de doação de órgãos aos médicos da rede pública. Segundo a representante da OPAS no Brasil, Socorro Gross, o projeto inova ao unir estrategicamente os temas da emergência e do transplante de órgãos.

Cooperação irá criar um banco de dados dos médicos ativos nas emergências brasileiras, além de capacitá-los no processo de doação de órgãos. Foto: Tânia Rêgo/ABr.

Cooperação irá criar um banco de dados dos médicos ativos nas emergências brasileiras, além de capacitá-los no processo de doação de órgãos. Foto: Tânia Rêgo/ABr.

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Associação Brasileira de Medicina de Emergências (ABRAMEDE) firmaram na última quinta-feira (12) um acordo de cooperação para a melhoria do Sistema Nacional de Transplantes (SNT) brasileiro.

O projeto, de iniciativa do Ministério da Saúde, compreende a criação de um cadastro nacional de médicos emergencistas e a qualificação desses profissionais nas redes de urgência e emergência do país.

Dados para melhorias no sistema de transplantes

A colaboração entre as duas instituições, que ocorrerá pelo período de um ano, se dará em dois momentos. No primeiro deles, os esforços se concentrarão em criar uma base de dados atualizada e detalhada dos médicos que compõem a força de trabalho nas emergências brasileiras. A coleta de informação acontecerá nos Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (SAMUs), nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e nos serviços hospitalares de emergência.

Com esses dados em mãos, será possível mensurar o capital humano existente no país para, em seguida, qualificá-lo, já que emergencistas são os primeiros profissionais a ter contato com o potencial doador e podem garantir seu manejo adequado.

Por isso, em um segundo momento, será realizada a capacitação dessas médicas e médicos em relação aos principais agravos de emergência e medicina de emergência, bem como o conjunto de competências necessárias ao processo de doação de órgãos – como o diagnóstico de morte encefálica, a manutenção do doador e a notificação ao sistema brasileiro de transplantes, considerado o maior do mundo.

Parceria OPAS e ABRAMEDE

OPAS assina parceria com Associação Brasileira de Medicina de Emergências para melhorias no sistema brasileiro de transplantes. Foto: OPAS.

OPAS assina parceria com Associação Brasileira de Medicina de Emergências para melhorias no sistema brasileiro de transplantes. Foto: OPAS.

Segundo Socorro Gross, representante da OPAS no Brasil, o projeto inova ao unir estrategicamente os temas da emergência e do transplante de órgãos. “É exatamente nas emergências que está a maioria dos doadores”, pontuou Gross.

Frederico Arnaud, presidente da ABRAMEDE, celebrou a parceria entre as duas instituições e afirmou que ela será essencial para auxiliar a tomada de decisão na cadeia de transplantes do país.

A cerimônia de assinatura da parceria contou também com a presença do secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo.