OPAS apoia campanha de vacinação do Brasil para imunizar 500 mil indígenas em quase 1,4 mil aldeias

Campanha teve início no último sábado (30) e se estenderá pelo mês de maio. Profissionais de saúde envolvidos receberam treinamento da Organização Pan-Americana da Saúde, que capacitou integrantes do Programa Mais Médicos localizados em áreas indígenas.

Cerca de 500 mil indígenas devem receber imunização ao longo do mês de maio em campanha de vacinação do Ministério da Saúde. Profissionais de saúde fizeram curso de treinamento organizado pela OPAS/OMS. Foto: Agência Brasil / Marcello Casal Jr.

Cerca de 500 mil indígenas devem receber imunização ao longo do mês de maio em campanha de vacinação do Ministério da Saúde. Profissionais de saúde fizeram curso de treinamento organizado pela OPAS/OMS. Foto: Agência Brasil / Marcello Casal Jr.

No Brasil, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) presta apoio ao governo na realização do Mês de Vacinação dos Povos Indígenas – que começou no último sábado (30). A iniciativa permitirá a 500 mil indígenas de 1.373 aldeias brasileiras atualizarem suas doses vacinais e receberem imunização contra a influenza. Outros 3,5 mil profissionais de saúde também receberão tratamento.

No total, 34 Distritos Sanitários Indígenas (DSEIs) participarão da campanha que busca fortalecer a vigilância epidemiológica das doenças que podem ser prevenidas por vacina.

No mês passado (20), os funcionários que atuarão no esquema de vacinação fizeram o “Curso de vigilância de eventos adversos pós-vacinação/vacinação segura”, organizado pela OPAS com apoio do Ministério da Saúde. As aulas capacitaram 300 profissionais do programa Mais Médicos situados em áreas indígenas, além de chefes e técnicos de DSEIs.

Governo quer vacinar 80% da população contra vírus da influenza

No último sábado (30), o Ministério da Saúde deu início também à Campanha Nacional de Vacinação contra os Vírus da Influenza. O objetivo é vacinar pelo menos 80% da população até 20 de maio – data do final da campanha.

O governo vai disponibilizar imunizações contra os agentes patológicos, beneficiando principalmente os grupos prioritários indicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os segmentos de maior risco incluem as pessoas a partir de 60 anos, gestantes, crianças de seis meses a menores de cinco anos, profissionais de saúde, mães que deram à luz recentemente, povos indígenas, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis, pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.

A OPAS reforça que a vacina contra os vírus da influenza é segura e bem tolerada – sendo recomendada pela OMS como uma das medidas mais importantes de saúde pública –, além de muito eficaz na prevenção do adoecimento e mortes relacionadas à infecção por esses agentes patológicos.

A agência regional de saúde destacou ainda que as campanhas brasileiras foram lançadas na mesma semana em que a OPAS realizou sua Semana de Vacinação das Américas. A campanha transnacional buscou imunizar quase 60 milhões de crianças e adultos no hemisfério ocidental.

Neste ano, o lema da iniciativa – “Vamos pelo ouro. Vacine-se” – celebra os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. O projeto contou com o apoio do atleta jamaicano Usain Bolt, que aparece nos materiais de divulgação da campanha.