ONUDI: Com investimento chinês, Brasil avança estudos nas áreas de robótica e inteligência artificial

A China fez contribuições para a Organização da ONU para o Desenvolvimento Industrial para que sejam criadas novas tecnologias na América Latina e no Caribe.

Brasil recebe financiamento para avançar com os projetos em áreas de inteligência artificial e robótica. Foto: UIT

Brasil recebe financiamento para avançar com os projetos em áreas de inteligência artificial e robótica. Foto: UIT

A contribuição voluntária de 5 milhões de dólares do governo da China, em 2013, para a Organização da ONU para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI) está sendo usada para reforçar a cooperação técnica e os serviços de consultoria na África, na Ásia Central e na América Latina e no Caribe.

Desde junho de 2013, quando LI Yong foi nomeado diretor-geral da ONUDI, a China se comprometeu a contribuir com 5 milhões de dólares por ano, entre 2013 e 2016, em apoio às atividades da Organização. Os projetos e áreas em que o financiamento está sendo destinado devem contribuir para a criação de emprego e redução da pobreza nas respectivas regiões.

Do total, 1 milhão de dólares está sendo usado na América Latina e o Caribe para financiar três projetos regionais da ONUDI, incluindo um destinado ao Brasil e Uruguai, que vão melhorar a cadeia de valor regional em áreas como inteligência artificial e robótica, automação e mecatrônica e fabricação 3D.

Já 1,5 milhão de dólares será destinado para a África e 1 milhão para a Ásia Central para apoiar as atividades no campo da cooperação técnica e serviços de consultoria da ONUDI nas duas regiões. Por fim, 1,1 milhão de dólares está sendo usado para integrar novas ferramentas de análise industrial com o objetivo de identificar e atingir as oportunidades globais de mercado na Etiópia e no Senegal.