ONU toma medidas para evitar a repetição das fraudes eleitorais no Haiti

Medidas estão sendo tomadas nos 1500 centros eleitorais do Haiti, para evitar a repetição, no próximo mês, das fraudes que marcaram o primeiro turno das eleições presidenciais, em novembro passado, de acordo com o Representante Especial do Secretário-Geral da ONU no Haiti, Nigel Fisher.

Cédulas de votação sendo distribuídas para as eleições de novembro.Medidas estão sendo tomadas nos 1500 centros eleitorais do Haiti, para evitar a repetição, no próximo mês, das fraudes que marcaram o primeiro turno das eleições presidenciais, em novembro passado, de acordo com o Representante Especial do Secretário-Geral da ONU no Haiti, Nigel Fisher. Em videoconferência com o Conselho Econômico e Social da ONU (ECOSOC), ele disse que a Organização dos Estados Americanos (OEA) deverá aumentar o número de observadores. Além disso, as cédulas de votação serão codificadas por cores e call centers informarão os eleitores sobre os locais de votação.

Um código de conduta está sendo desenvolvido para definir o comportamento de militantes e demais eleitores em centros de votação. Fisher disse ainda que espera que um déficit de 2,5 milhões de dólares em financiamento seja coberto por doadores, ou, a curto prazo, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), caso as doações atrasem.

No início deste mês, o Conselho Eleitoral Provisório anunciou que a ex-Primeira-dama Mirlande Manigat e um músico popular, Michel Martelly, seriam os dois candidatos no segundo turno, eliminando Jude Celestin, candidato do partido do atual Presidente, René Préval. Segundo Fisher, os principais desafios do novo presidente incluirão os esforços de recuperação do terremoto de janeiro de 2010, a resposta à epidemia de cólera, que eclodiu em outubro, e a preparação para a temporada de ciclones. Acima de tudo, “a questão fundamental são os empregos”, frisou.

O Presidente do Grupo Consultivo Ad Hoc do ECOSOC para o Haiti, o embaixador John McNee, do Canadá, notou que a Comissão Provisória de Recuperação do Haiti aprovou recentemente 430 milhões de dólares em projetos de habitação, remoção de entulhos, educação, energia, saúde e criação de empregos. O grupo planeja viajar para o Haiti para se reunir com o Governo e as várias partes interessadas e apresentar um relatório em julho.