ONU toma ações humanitárias coordenadas em resposta a ataque na Somália

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O conjunto de agências e programas das Nações Unidas, num esforço coletivo e coordenado, continua trabalhando para dar suporte à recuperação de Mogadíscio, capital da Somália, após o pior atentado da história do país, que matou ao menos 300 pessoas e feriu um número ainda maior no último sábado (14).

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) estão entre as entidades da organização atuando em campo.

Escombros de edifício danificado por carro-bomba em Modadishu, capital da Somália. Foto: ONU/Tobin Jones

Escombros de edifício danificado por carro-bomba em Mogadíscio, capital da Somália. Foto: ONU/Tobin Jones

O conjunto de agências e programas das Nações Unidas, num esforço coletivo e coordenado, continua trabalhando para dar suporte à recuperação de Mogadíscio, capital da Somália, após o pior atentado da história do país, que matou ao menos 300 pessoas e feriu um número ainda maior no último sábado (14).

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) estão entre as entidades da organização atuando em campo. Mais de 100 funcionários doaram sangue para ajudar os feridos.

O Serviço de Ação Anti-Minas das Nações Unidas (UNMAS) tem mobilizado assessores técnicos, médicos e cães farejadores no principal local da explosão, próximo ao Hotel Safari. Pessoal da unidade de incêndios da Missão de Assistência das Nações Unidas na Somália (UNSOM) e do escritório de apoio da ONU no país têm usado equipamento especial para a busca de sobreviventes.

Segundo a UNSOM, jovens das universidades locais também têm se unido aos esforços de limpeza e resgate desde o início da semana. Mais de 300 voluntários estão participando das operações, acompanhados do prefeito de Mogadíscio, Thabit Abdi Mohamed, retirando escombros e detritos.


Mais notícias de:

Comente

comentários